PUBLICIDADE

Morte de fã em show de Taylor Swift: o que se sabe sobre o caso?

Morte de Ana Clara Benevides, de 23 anos, foi lamentada por Taylor: 'Estou devastada'. Empresa organizadora diz ter prestado pronto atendimento e que vai 'reforçar o plano de ação especial. Público critica posicionamento e reportagem tenta contato, sem retorno. Prefeito do Rio anuncia medidas para os próximos shows

18 nov 2023 - 14h07
(atualizado em 21/11/2023 às 23h06)
Compartilhar
Exibir comentários

Com um público de cerca de 60 mil pessoas, o primeiro show da turnê The Eras Tour da cantora Taylor Swift no Brasil ficou marcado por uma tragédia na noite da sexta-feira, 17. Ana Clara Benevides, de 23 anos, era fã da artista e morreu antes do início do show no Estádio Nilton Santos, o Engenhão, no Rio. T4F emitiu nota afirmando que prestou pronto atendimento e que vai "reforçar plano de ação especial realizado para o primeiro dia do show" na apresentação deste sábado, 18.

A T4F foi alvo de críticas por problemas de organização e pela proibição de que os fãs levassem sua própria água ao estádio. A empresa afirmou, em uma segunda nota publicada nas redes sociais, que será permitida a entrada com copos de água lacrados. A medida foi tomada após Flávio Dino (PSB), ministro da Justiça e da Segurança Pública, anunciar uma Portaria permitindo o acesso com garrafas da água para uso pessoal em shows. O Estadão tentou contato com a companhia para entender o porquê da proibição dos recipientes e se permitirão a entrada dos objetos no evento desta noite, mas ainda não obteve retorno sobre a questão. O espaço permanece aberto. Veja o comunicado completo abaixo.

Taylor Swift lamentou a morte da jovem pelo Instagram. "Não acredito que estou escrevendo essas palavras, mas é com o coração em pedaços que eu digo que perdemos uma fã mais cedo antes do meu show". A cantora disse estar devastada e não ter muitas informações sobre o caso. Destacou também que a garota "incrivelmente linda e muito jovem".

Quem era a fã que morreu no show de Taylor Swift?

Ana Clara Benevides, de 23 anos, era estudante de Psicologia na Universidade Federal de Rondonópolis, no Mato Grosso. Segundo Estela Benevides, prima de Ana Clara, a jovem era natural de Sonora, em Mato Grosso do Sul. Era a primeira vez na qual a estudante tinha viajado de avião.

A fã também era diretora da Associação Acadêmica de Psicologia Atlética Valhalla da Universidade Federal de Rondonópolis, que também manifestou pesar pela morte da colega. "Partiu deixando um enorme vazio em nossos corações", escreveu.

Qual foi a causa da morte?

Ana foi socorrida antes do início do show ao desmaiar na grade em frente ao palco, dentro do Engenhão. Chegou a ser encaminhada ao hospital, mas não resistiu. "Não sabemos ainda a exata causa da morte. Só que estava muito calor e ela estava há horas na fila", disse a prima ao Estadão.

A reportagem recebeu, extraoficialmente, uma nota que informava que Ana havia morrido em decorrência de uma parada cardiorrespiratória pelo calor extremo. O Estadão, então, entrou em contato com a Prefeitura e com a Secretaria Municipal de Saúde (SMSRio) do Rio de Janeiro para confirmar a veracidade do comunicado.

Por e-mail, o órgão de saúde disse que a nota em circulação é falsa e enviou a correta. Segundo eles, o corpo da fã foi encaminhado para o IML. Veja abaixo.

"A paciente Ana Benevides chegou ao Hospital Municipal Salgado Filho, às 20h50, em parada cardiorrespiratória. Foram feitas manobras de reanimação, mas, infelizmente, ela não resistiu. Neste momento, não se consegue precisar a causa da morte que será investigada pelo IML."

Quais eram as condições do público no Engenhão?

A T4F proibiu que fãs entrassem com água nos shows da Taylor Swift no Brasil, medida que foi drasticamente criticada pelo público nas redes sociais. Segundo o AlertaRio, a sensação térmica de sexta-feira, 17, bateu recorde e chegou a 60ºC.

O que diz a T4F - Time for Fun, organizadora do show de Taylor Swift?

Em uma primeira nota, a Tickets for Fun, responsável pela organização do show no Brasil, lamentou a morte e disse ter suporte à jovem. Segundo a empresa, ela foi "prontamente atendida pela equipe de brigadistas e paramédicos, sendo encaminhada ao posto médico" do estádio. Em seguida, ela foi levada ao Hospital Salgado Filho, onde morreu depois de quase uma hora de atendimento. O Estadão tentou contato com o hospital, mas não obteve retorno até o momento desta publicação.

Depois, a T4F afirmou, em uma segunda nota publicada nas redes sociais, que "está reforçando o plano de ação especial realizado para o primeiro dia de show" e que será permitida a entrada com copos de água lacrados. Veja o comunicado completo abaixo.

O que o público achou do comunicado da T4F?

No X (antigo Twitter), os clientes criticaram o posicionamento nas redes sociais. "Pelo amor, um copo?", disse uma usuária da web. "O Ministério liberou, vocês não têm autoridade para barrar garrafas (leia mais abaixo) quando um órgão do executivo considera elas vitais para a sobrevivência", respondeu outra.

Outra pessoa ainda questionou na rede social: "Quem tem poder, a T4F ou o Ministro da Justiça? Não existe a produtora ter a hierarquia maior que o órgão".

A revolta dos usuários e clientes da T4F vem após Flávio Dino (PSD), ministro da Justiça e Segurança Pública, anunciar, neste sábado, 18, uma Portaria que libera a entrada de garrafas de água em shows.

O que dizem as autoridades sobre a morte de Ana?

A T4F foi alvo de críticas por problemas de organização e pela proibição de que os fãs levassem sua própria água ao estádio.

A revolta dos usuários e clientes da T4F vem após Flávio Dino (PSD), ministro da Justiça e Segurança Pública, anunciar, neste sábado, 18, uma Portaria que libera a entrada de garrafas de água em shows.

Por meio das redes sociais, o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD), lamentou a morte da jovem e disse que providências serão tomadas para os próximos shows da artista no Rio.

No X (antigo Twitter), Flávio Dino, ministro da Justiça e Segurança Pública no Brasil, anunciou providências. Ele orientou o Secretário Nacional do Consumidor do Ministério da Justiça, Wadih Damous, a tomar uma medida em relação às "denúncias de vedação ou ausência de disponibilidade de água para os consumidores que foram ou irão a shows durante essa imensa onda de calor que o Brasil atravessa".

Wadih Damous disse que a Secretaria Nacional do Consumidor "está determinando que a produtora T4F assegure o acesso à água em todos os shows da cantora Taylor Swift no Brasil". Ele ainda afirmou que é uma "insanidade" negar água nessas condições climáticas.

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Publicidade