5 eventos ao vivo

Daniela Mercury prepara livro e ataca machismo da religião: "desrespeito"

Cantora que assumiu homossexualidade afirmou que prepara livro ao lado da namorada, a jornalista Malu Verçosa

25 ago 2013
09h57
atualizado às 10h09
  • separator
  • 1
  • comentários

A cantora Daniela Mercury classificou as religiões católica e evangélica como “machistas” e “preconceituosas” durante coletiva com imprensa em Teresina (PI) na tarde deste sábado (24). A cantora, que assumiu a sua homossexualidade, anunciou que irá se casar no Brasil e prepara livro que contará a história do seu romance com a jornalista Malu Verçosa.

“Não haverá censura”, brinca Daniela Mercury que está no Piauí para participar do Festival da Rabeca, no município de Bom Jesus, e no domingo fará show na Parada da Diversidade, na capital piauiense.

Durante a entrevista, ela disse que não teme defender a igualdade de direitos aos homossexuais e revelou que 1% do público lhe manda mensagens "indelicadas". Na capital piauiense, Mercury tirou foto com a namorada, afastando rumores de crise e voltou a fazer declarações de amor a jornalista.

Quando lançará o livro sobre seu romance com a Malu?
Até o final do ano vamos estar lançando o livro. Não haverá censura (risos). Vamos nos casar no civil, já recebemos convites para a festa ser em Paris, Lisboa, mas vamos nos casar no Brasil.

<p>Daniela Mercury  e Malu Verçosa</p>
Daniela Mercury e Malu Verçosa
Foto: Yala Sena / Especial para Terra
O que abordará o livro?
Estamos escrevendo o livro a quatro mãos. Eu estou escrevendo literalmente a mão, pois adoro escrever meus textos, minhas composições a mão. Eu vou colocar um olhar um pouco mais poético disso tudo e ela, que é jornalista (se referindo a Malu), apesar dela ter uma sensibilidade enorme, e seu texto ter muita emoção, a gente lança com o mesmo compromisso de uma atitude política, mas o amor é que é a grande revolução. Essa é a essência do livro. Ainda estamos definindo o nome, mas até o final do ano lançaremos.

Os evangélicos são contra o homossexualismo, a cura Gay, virou uma bandeira...
A cura gay foi feito para polemizar, para os deputados envolvidos nisso ganharem divulgação e quem sabe conseguirem mais um pouco de votos das pessoas ignorantes que não compreendem o que significa isso. É um absurdo e um atraso tamanho. O que ele (Marco Feliciano) queria ele conseguiu. Não sei se foi para o bem ou para o mal. Espero que ele não tenha ganhado mais eleitores. É um escalabro, um absurdo e oportunismo político.

Há confusão entre religião e orientação sexual?
O País é laico. O Estado não optou por nenhuma religião, que respeita as manifestações religiosas. Há uma lavagem cerebral é brutal. Não é possível que as emissoras de televisão fiquem fazendo evangelização. Me lembra um pouco a colonização brasileira. A gente é recolonizado e recatequizado pelas religiões. Eu por exemplo não quero que meus filhos recebam qualquer tipo de catequização através dos meios de comunicação. Eu não preciso de religião para me dizer o que é certo ou errado. Me surpreendo com declarações de apoio e somente 1% escreve mensagens indelicadas no Twitter, mas vejo que são ignorantes.

Paradas gays têm impacto contra a homofobia?

<p>Daniela Mercury posou para fotos em Teresina, no Piauí</p>
Daniela Mercury posou para fotos em Teresina, no Piauí
Foto: Yala Sena / Especial para Terra

Sim. Tem muito impacto. Temos que se defender das religiões que vão contra as liberdades individuais. São conquistas da sociedade e é um absurdo que qualquer religião venha atacar essas liberdades. Aí eu digo: se eles estão vivendo há 600 anos atrás, se eles estão com conceito morais que não condizem com os avanços e conquistas de nossas Constituições. Eles que têm que ficar calados e dentro de casa. E não irem para a televisão e falarem contra qualquer liberdade ou direito adquiridos”.

Há preconceito contra as mulheres?
Os evangélicos dizem que as mulheres têm que ficar submissas aos homens, o que é um absurdo. Isso me ofende profundamente como mulher. Sempre me ofendeu e não suporto essa história tanto do catolicismo como dos evangélicos de desvalorizar as mulheres dentro da Bíblia. Tanto é que na igreja católica as freiras não podem rezar missa. São religiões machistas e ainda se dão o direito de disseminar o desrespeito as diferenças. Isso é inaceitável. Não suporto isso, acho um desrespeito. Cada um que quiser ter suas crenças, quer crie para si, para seus filhos e seus universos. Mas, não venha tentar contaminar a sociedade com conceitos tão atrasados e desrespeitosos diante de tanto que nós já conseguimos com a democracia. As religiões não são leis, são religiões, são crenças. Mas, o que rege nosso País são cartas magnas chamadas Constituições e é nisso que me pauto. Não sou obrigada a acatar os dogmas de nenhuma religião, mas eles são obrigados a me respeitar como cidadão de um país livre e laico. As pessoas confundem, acham que as religiões valem mais dos que nossas Constituições. Por isso que todo mundo fica com medo.

&amp;amp;amp;lt;a data-cke-saved-href=&amp;amp;quot;http://diversao.terra.com.br/infograficos/famosos-pega-pega/iframe.htm&amp;amp;quot; href=&amp;amp;quot;http://diversao.terra.com.br/infograficos/famosos-pega-pega/iframe.htm&amp;amp;quot;&amp;amp;amp;gt;veja o infogr&amp;amp;aacute;fico&amp;amp;amp;lt;/a&amp;amp;amp;gt;
Fonte: Terra
  • separator
  • 1
  • comentários
publicidade