PUBLICIDADE

Velório de Elza Soares é aberto ao público no Rio

Cantora está sendo velada no Theatro Municipal; carro do Corpo de Bombeiros fará cortejo pela cidade até o cemitério nesta sexta-feira

21 jan 2022 07h41
| atualizado às 11h08
ver comentários
Publicidade
O caixão com o corpo da cantora Elza Soares chega ao Theatro Municipal do Rio de Janeiro, no centro da cidade, onde será velado nesta sexta-feira, 21
O caixão com o corpo da cantora Elza Soares chega ao Theatro Municipal do Rio de Janeiro, no centro da cidade, onde será velado nesta sexta-feira, 21
Foto: JOSE LUCENA/THENEWS2 / Estadão

O corpo da cantora Elza Soares, que morreu na quinta-feira, 20, aos 91 anos de idade de causas naturais, está sendo velado no Theatro Municipal, no centro do Rio de Janeiro, nesta sexta-feira, 21. A cerimônia ficará aberta ao público das 10h até às 14h.

Depois do velório, o caixão da cantora será transportado em um carro do Corpo de Bombeiros em cortejo pela cidade até o Cemitério Jardim da Saudade, local em que a artista será enterrada na tarde desta sexta-feira.

Familiares e amigos comparecem ao velório da cantora Elza Soares, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro
Familiares e amigos comparecem ao velório da cantora Elza Soares, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro
Foto: JOSE LUCENA/THENEWS2

Morte

A informação do falecimento de Elza Soares foi passada pela equipe da artista, por meio de publicação no perfil da artista no Instagram.

"Amada e eterna Elza descansou, mas estará para sempre na história da música e em nossos corações e dos milhares de fãs por todo o mundo. Feita a vontade de Elza Soares, ela cantou até o fim", diz o comunicado.

O prefeito do Rio, Eduardo Paes (PSD), decretou três dias de luto oficial no pela morte da cantora.

Trajetória de importância

 Elza Soares
Elza Soares
Foto: Allan Carvalho / Futura Press

Elza é considerada uma das maiores artistas do mundo, já tendo sido eleita a Voz do Milênio. Ela começou na vida artística em 1953, quando fez seu primeiro teste no programa de calouros de Ary Barroso, na Rádio Tupy. Também trabalhou na Orquestra Garam Bailes, na Rádio Vera Cruz e no Festival Nacional da Bossa Nova.

Em uma carreira marcada por altos e baixos, Elza foi eleita a cantora do milênio pela rádio BBC de Londres em 2000 e representou o Brasil na Copa de 62. Em mais de 60 anos de carreira, a artista viveu dramas na vida pessoal - como a agressão que sofria de Garrincha e a morte do filho do casal -, foi perseguida pela Ditadura Militar e sofreu um acidente que a deixou com dificuldades de locomoção.

Em 2015, Elza Soares lançou o disco A Mulher do Fim do Mundo, que ganhou o Grammy Latino e ficou entre os melhores álbuns de 2016 na lista do jornal The New York Times.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Fonte: Redação Terra
Publicidade
Publicidade