3 eventos ao vivo

Escola do Rio terá "Crivella demônio" e 1ª musa transexual

7 fev 2019
13h36
  • separator
  • comentários

Já é tradicional das escolas de samba do Carnaval do Rio de Janeiro levar para a Sapucaí as polêmicas da política brasileira. Sem medo de dividir opiniões, algumas agremiações costumam usar os desfiles para fazer críticas sociais e contestar figurões que estão no poder. 

Crivella será "demônio" em desfile da Acadêmicos do Sossego
Crivella será "demônio" em desfile da Acadêmicos do Sossego
Foto: Leonardo Zullu/MF Press Global / Divulgação

A escola de samba Acadêmicos do Sossego, última a desfilar na sexta-feira, primeira noite do grupo de acesso, escolheu um alvo principal: o prefeito do Rio, Marcelo Crivella. O bispo evangélico, que cortou verbas públicas para o Carnaval carioca quando assumiu a prefeitura, em 2017, será retratado como "demônio".

Priscila Reis será a primeira musa trans a desfilar no grupo de acesso do Rio
Priscila Reis será a primeira musa trans a desfilar no grupo de acesso do Rio
Foto: Leonardo Zullu/MF Press Global / Divulgação

A discussão da diversidade sexual também estará presente na Acadêmicos do Sossego. E novamente com provocação ao prefeito que, em 2012, em uma pregação, afirmou que a homossexualidade pode ter origem no sofrimento do bebê ainda no útero da mãe e que a homossexualidade seria um "mal terrível". Segundo ele, gays merecem compreensão porque podem ser fruto de aborto malsucedido. 

A resposta da escola foi na escolha da destaque do principal carro alegórico: a fisiculturista transexual Priscila Reis. "Estou a favor do Carnaval, e não sou um aborto malsucedido como o prefeito afirmou anos atrás. Amo minha cidade, amo o Carnaval e tudo que ele representa e lamento que o prefeito tenha tido essa atitude de prejudicar as Escolas cortando verba deste que é o evento que mais traz turistas para o Rio e gera empregos".

Fisiculturista será mais uma provocação da escola a Crivella
Fisiculturista será mais uma provocação da escola a Crivella
Foto: Leonardo Zullu/MF Press Global / Divulgação

Em 2018, "Temer vampiro" e imigração

O ano passado ficou marcado pelo "desfile protesto da Paraíso do Tuiuti, que com o enredo 'Meu Deus, meu Deus, está extinta a escravidão?', criticou a reforma trabalhista e apresentou o presidente Michel Temer como o "vampiro do neoliberalismo". A escola também levou uma ala de 'manifestantes fantoches' com panelas nas mãos, ironizando os atos a favor do impeachment de Dilma Roussef. 

"Temer vampiro" foi retratado pela Paraíso do Tuiuti
"Temer vampiro" foi retratado pela Paraíso do Tuiuti
Foto: Ellan Lustosa/Código19 / Futura Press

Também em 2018, Crivella e o corte das verbas destinadas ao Carnaval foram assunto na Sapucaí. Com o enredo 'Com dinheiro ou sem dinheiro, eu brinco', a Mangueira levou um boneco de Judas para simbolizar o prefeito, ao lado da frase "prefeito, pecado é não brincar o Carnaval". A Beija-Flor foi outra a levar a política para a avenida e criticou a corrupção e o abandono de crianças e adolescentes. Outro "tema da moda" do ano passado foi a imigração, retratado pela Portela e pela União da Ilha. 

Crivella já tinha sido alvo de protestos em 2018, pela Mangueira
Crivella já tinha sido alvo de protestos em 2018, pela Mangueira
Foto: Ellan Lustosa/Código19 / Futura Press

Veja também:

 

Fonte: Equipe portal

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade