0

Amigos do Zé Pereira leva diversidade de ritmos ao Carnaval do Rio

3 fev 2018
10h12
atualizado às 10h14
  • separator
  • comentários

A Liga Carnavalesca Amigos do Zé Pereira chega ao sexto Carnaval consecutivo no Rio de Janeiro, mantendo sua característica principal, que é a diversidade da folia de rua carioca. Os oito blocos que compõem a liga - Orquestra Voadora, Céu na Terra, Quizomba, Toca Rauuul, Último Gole, Vagalume o Verde, A Rocha e Laranjada - dividem-se entre o centro e a zona sul da cidade. O primeiro a desfilar será o Céu na Terra, neste sábado (3), em Santa Teresa. Segundo o presidente da Liga, Rodrigo Rezende, os componentes da associação foram escolhidos entre aqueles que pudessem traduzir o que é, hoje, o Carnaval de rua na cidade do Rio de Janeiro. "É uma coisa absolutamente diversa, muito além do samba, apesar de o samba ser muito reverenciado", disse Rezende à Agência Brasil.

Desfiles dos blocos da liga atraem milhares de foliões
Desfiles dos blocos da liga atraem milhares de foliões
Foto: Agência Brasil

A liga é apadrinhada pelo Cordão da Bola Preta, tradicional bloco de rua que chegou ao centenário este ano. Por isso, a liga tem toda uma reverência pelo Carnaval tradicional, mas, ao mesmo tempo, busca trazer melhor uma organização para a festa nas ruas e foca na ampliação dos horizontes, explicou Rezende. "Uma coisa diversa, como é a nossa cidade", disse ele, revelando que a liga espera reunir nos desfiles deste ano de 350 mil a 400 mil foliões.

Programação

Um dos mais tradicionais e mais coloridos blocos de rua do Rio de Janeiro, o Céu na Terra será o primeiro membro da liga a desfilar. A concentração será hoje, às 6h30, no Largo dos Guimarães, em Santa Teresa. "É um bloco que simboliza a retomada, a redescoberta do Carnaval de rua pelo grande público. É um dos blocos precursores disso", destacou Rezende. Para ele, o Céu na Terra é um núcleo de cultura que desenvolve uma série de trabalhos, como autos de Natal e orquestra popular. "O bloco de Carnaval é um deles, o mais conhecido". São 80 músicos, entre ritmistas, sopros e harmonia. O bloco volta a se apresentar no dia 10, sábado de Carnaval, no mesmo local. Os foliões mantêm a tradição de brincar fantasiados. "E é um bloco fundamentalmente de marchinhas."

Neste domingo (11), saem o Toca Rauuul!, o Exagerado e o Laranjada. Criado em 2012 para homenagear Raul Seixas, considerado o "pai" do rock nacional, o bloco se apresentará às 16h na Praça Tiradentes, no centro da cidade,  dividindo o palco com o Exagerado, que homenageia o cantor e compositor Cazuza. O tema do Toca Rauuul! este ano é Pare o Mundo que Eu Quero Descer. O bloco tem 15 ritmistas e espera a participação de 10 mil foliões.

A concentração do Laranjada começa às 9h, na Praça Jardim Laranjeiras, na Rua General Glicério, em Laranjeiras. Desde 2003, o bloco promove o encontro entre asfalto e morro. São 100 ritmistas, e a bateria Puro Suco reúne músicos do bairro de Laranjeiras e do Morro Santa Marta, em Botafogo. Com o tema Carnaval, festa do povo, o Laranjada pretende atrair 7 mil foliões.

Terça-feira

Na segunda-feira (12), a Liga faz uma pausa "para respirar" e volta com tudo na terça-feira (13), com quatro blocos: Orquestra Voadora; A Rocha, da Gávea; Vagalume o Verde e Último Gole.

A Orquestra Voadora foi formada em 2008, e é considerada a "mãe" do movimento de neofanfarrismo. Primeiro e maior bloco de fanfarras, atraiu cerca de 150 mil pessoas em seu desfile pelo Aterro do Flamengo. O repertório passeia pelo frevo, maracatu, xote, rock, funk, samba e jazz. O bloco conta com 350 músicos e cerca de 100 pernaltas.

O Vagalume o Verde foi criado na região do Horto, no Jardim Botânico, e tem uma "pegada" mais ecológica. Para o desfile deste ano, o tema escolhido foi A Fauna e a Flora da Mata Atlântica. O bloco vai plantar espécies nativas da Mata Atlântica para compensar sua passagem no Carnaval. Em todos os desfiles, os foliões d'O Vagalume e o Verde recolhem material reciclável e incentivam a coleta seletiva de lixo.

O bloco A Rocha foi formado há cerca de 10 anos na Gávea por estudantes da Pontifícia Universidade Católica (PUC) e tem 100 ritmistas. Como o tema deste ano é Brincadeira de Criança, Como é Bom, os ritmistas do bloco sairão fantasiados de personagens do Sítio do Picapau Amarelo, Castelo Ratimbum e Turma da Mônica. Músicas infantis serão tocadas em ritmo de samba. A concentração será às 8h, na Praça Santos Dumont, no Jóquei, e o desfile começará uma hora depois. A previsão é que participem 10 mil foliões. "São várias gerações. Entram na PUC e começam a participar. Depois de formados, continuam participando", comentou o presidente da Liga.

Bloco de bairro, que desfila no Parque dos Patins, na Lagoa Rodrigo de Freitas, zona sul do Rio, o Último Gole está fazendo 20 anos de história no Carnaval. É um bloco parado, formado por amigos que amam o samba e que se inspiram em nomes como Cartola, Nelson Cavaquinho, Almir Guineto e Zeca Pagodinho, entre outros compositores. A apresentação vai das 16h às 22h, e o Último Gole espera atrair 7 mil foliões.

Quizomba

No primeiro sábado depois do Carnaval (17), o Quizomba renova a folia no Circo Voador, região da Lapa, bairro boêmio do Rio de Janeiro. Tendo como madrinha a cantora Roberta Sá, a agremiação escolheu o tema África e se apresentará com 140 ritmistas. O repertório mistura diversos estilos e cria arranjos para canções de sucesso de diversos artistas. O desfile vai dos Arcos da Lapa até a Rua Augusto Severo e volta pela Rua Mem de Sá até chegar ao Circo Voador. O Quizomba espera receber 15 mil foliões e tem pré-Carnavalesco marcado para o próximo dia 9, no Clube Monte Líbano, no Leblon, zona sul do Rio.

Veja também:

 

Agência Brasil Agência Brasil

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade