PUBLICIDADE

Silêncio em peça de comédia? 'O Método Grönholm' volta a cartaz para fazer rir e refletir

Peça de Jordi Galcerán, dirigida por Lázaro Ramos e Tatiana Tibúrcio, leva executivos a situações inusitadas em busca de uma vaga de emprego

29 jun 2022 - 09h41
Ver comentários
Publicidade
Luís Lobianco, Tatiana Tibúrcio, Anna Sophia Folch, George Sauma e Raphael Logam (esq. para dir.), na estreia da peça 'O Método Grönholm', no Teatro Unimed, em São Paulo
Luís Lobianco, Tatiana Tibúrcio, Anna Sophia Folch, George Sauma e Raphael Logam (esq. para dir.), na estreia da peça 'O Método Grönholm', no Teatro Unimed, em São Paulo
Foto: Leo Franco / AgNews

O silêncio em um espetáculo de comédia pode parecer esquisito para alguns. Assim como o escritor gosta de ser lido, o humorista se realiza ao fazer o outro rir – ato quase nunca silencioso.

Mas em 'O Método Grönholm' é um pouco diferente. A plateia que silencia para ouvir um manifesto sobre o direito de alguém do gênero masculino transicionar e expressar o feminino com o qual se identifica é motivo de satisfação para a atriz e diretora Tatiana Tibúrcio, que conduz a peça com o também ator e diretor Lázaro Ramos.

"Acho isso absolutamente produtivo. Não daremos nenhum passo atrás. Nesse momento, o papo é reto. O silêncio é ensurdecedor por causa disso", avalia a artista. 

Em cartaz desde a última sexta-feira, 24, em curta temporada no Teatro Unimed, em São Paulo, 'O Método Grönholm' volta aos palcos após quase 20 anos. O texto original, escrito pelo catalão Jordi Galcerán em 2003, foi encenado no Brasil pela primeira vez em 2007 – depois do filme espanhol 'El Método' (2005). A adaptação à segunda década deste século chegou a ser lançada no Rio de Janeiro em 2020, mas precisou ser suspensa devido à pandemia de Covid-19.

Dois anos depois, a peça estreia ainda atual, com atuação de Luís Lobianco, Raphael Logam, George Sauma e Anna Sophia Folch. Os quatro se reúnem em uma sala fechada para disputar uma vaga de emprego em uma multinacional.

Tatiana Tibúrcio dirige a peça 'O Método Grönholm' com Lázaro Ramos
Tatiana Tibúrcio dirige a peça 'O Método Grönholm' com Lázaro Ramos
Foto: Leo Franco / AgNews

Nessa última etapa da seleção, eles são submetidos a situações surpreendentes e capazes de revelar preconceitos, inseguranças, angústias e episódios constrangedores de suas vidas.

"Acho que em tempos outros – e entendendo que cada tempo é um tempo, tem sua identidade e questionamentos –, as gargalhadas vinham muito mais no tom do deboche, da ironia. Hoje é num tom de 'Meu Deus, como ele pode ser… Onde mais esse cara vai chegar'. É o riso do ridículo da situação. Acho que é um grande avanço", destaca Tatiana Tibúrcio. 

Tem até um "cidadão de bem"

O que impacta, em particular, é o texto de Fernando Fontes, personagem interpretado por Luis Lobianco. O carisma que conhecemos nas esquetes do 'Porta dos Fundos' e no 'Vai Que Cola' permanece, mas se confronta com postura arrogante e declarações machistas, transfóbicas e preconceituosas do executivo – que poderia, facilmente, se autorreferenciar um "cidadão de bem".

Mas seria injusto citar apenas Lobianco, quando é o encontro dos quatro atores em cena que deixa a peça ainda mais potente. Logam, convincente e perspicaz no ansioso Henrique; Sauma, como o sensível e destemido Carlos; e Anna Sophia dando vida à ambiciosa – no melhor sentido da palavra – e inteligente Mercedes. Juntos, eles fazem rir e questionar sobre questões com as quais poderemos nos deparar no mercado de trabalho – inclusive, amanhã mesmo.

"A gente propõe chamar o público para dizer: 'Vem cá, vamos falar sobre isso. Conversa comigo. Reflete aí'. A comédia é um instrumento muito eficaz para as escutas. Quando você usa ela de maneira não irresponsável, não apenas como entretenimento, é uma ferramenta importante. (...) Poder chamar o outro para refletir sobre os posicionamentos e fazer isso de maneira engraçada, leve, sem ser professoral, acho que é um caminho possível nesse momento que a gente está vivendo", acrescenta Tatiana Tibúrcio. 

Elenco da peça 'O Método Grönhol', que entrou em cartaz no Teatro Unimed, em São Paulo
Elenco da peça 'O Método Grönhol', que entrou em cartaz no Teatro Unimed, em São Paulo
Foto: Leo Franco / AgNews

'O Método Grönholm' está em cartaz até 31 de julho, no Teatro Unimed, em São Paulo. Os horários do espetáculo são às 21h nas sextas-feiras e sábados, e às 18h nos domingos. Os valores variam de R$ 40,00 (balcão/meia) a R$ 100,00 (plateia/inteira). Mais informações nas redes sociais da peça @ometodogronholm.

Fonte: Redação Terra
Publicidade
Publicidade