0

Embaixada da Itália e Orquestra de Brasília se unem em ação

Jovem tenor italiano fez homenagem às vítimas do coronavírus

28 mai 2020
11h43
atualizado às 11h58
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A Embaixada da Itália em Brasília e a Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro, da Secretaria de Estado da Cultura e Economia Criativa do Governo do Distrito Federal, se uniram em um projeto especial, chamado de "Volare", para fazer uma homenagem às vítimas do novo coronavírus (Sars-CoV-2).

Projeto 'Volare' uniu o tenor italiano e os músicos da Orquestra Sinfônica de Brasília
Projeto 'Volare' uniu o tenor italiano e os músicos da Orquestra Sinfônica de Brasília
Foto: Reprodução/YouTube / Ansa - Brasil

Segundo a Embaixada, a ação "se propõe como um abraço virtual entre Itália e Brasil, dois países unidos por laços de fraternidade histórica, não só em momentos de alegria, mas também e especialmente em momentos de dificuldade".

O jovem tenor italiano Davide Carbone se uniu aos 75 músicos da Orquestra e ao maestro Cláudio Cohen e interpretou virtualmente um clássico da música italiana: a canção "Nel blu dipinto di blu" ("No azul pintado de azul", 1958), de Domenico Modugno e Franco Migliacci, popularmente conhecida como "Volare".

O vídeo com o resultado da parceria pode ser visto no link: https://www.youtube.com/watch?v=bgi-MOolrPE

"Volare é uma das músicas italianas mais famosas do mundo. Eu a escolhi porque é a história de um sonho, e acho que realmente precisamos disso agora. Precisamos nos confundir com a cor do céu, olhar nos olhos daqueles que amamos e voltar a voar em direção à liberdade e ao infinito", afirmou Carbone.

Por sua vez, Cohen ressaltou que a música, "embora popular, tem elementos que possibilitam o diálogo com a música clássica, é uma forma de darmos apoio a nossos irmãos italianos, que passaram por toda essa dificuldade e que felizmente agora começam a se recuperar".

Para o Embaixador da Itália no Brasil, Francesco Azzarello, "a pandemia só pode servir para nos unir no plano das ideias, e espero que, ainda mais, no plano das ações, fazendo-nos redescobrir a importância de valores universais, como a solidariedade, mas também a felicidade que 'una musica dolce' pode nos doar".

"Agradeço calorosamente ao maestro Cohen, ao tenor Carbone e à Orquestra Sinfônica Nacional de Brasília, assim como à Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal, por este gesto ideal de amizade especial entre dois povos irmãos", pontuou Azzarello.

Desde o começo da sua carreira, Carbone chamou a atenção do grande tenor italiano Andrea Bocelli, que o convidou para acompanhá-lo e colaborar em suas turnês como participação especial. Foi durante sua participação nos shows brasileiros de Bocelli que Davide conheceu e se apaixonou pelo Brasil.

Veja também:

O chef premiado que valoriza peixes considerados menos nobres
Ansa - Brasil   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade