PUBLICIDADE

Taxação de brusinha gera brigaiada nas redes

O governo Lula anunciou uma medida que vai afetar encomendas feitas em sites como Shein, Shopee e AliExpress. A oposição caiu matando, e influenciadores governistas foram acionados

13 abr 2023 - 09h21
(atualizado em 16/4/2023 às 11h45)
Compartilhar
Exibir comentários

Tá tendo uma brigaiada na internet por causa da notícia sobre a taxação de compras feitas em sites como Shopee, Shein e AliExpress.

Foto: Núcleo Jornalismo

Eu sou de humanas, e você talvez também seja, então vou tentar explicar de um jeito simples:

  • Atualmente, remessas internacionais de até US$ 50 (cerca de R$ 250) de pessoa física para pessoa física — presentes, por exemplo — são isentas de impostos.
  • Segundo o governo, lojas online, principalmente as da China, se aproveitam dessa regra para enviar produtos ao Brasil sem pagar nenhuma taxa, fazendo-se passar por pessoas físicas.
  • O governo vai acabar com essa isenção, e as empresas terão que preencher um formulário da Receita Federal com todas as informações sobre os envios.
  • Se os dados estiverem incompletos ou se o valor declarado for menor do que o real, a encomenda só será liberada com o pagamento de uma multa.

Para ler uma explicação mais completa, clique aqui.

A primeira-dama Janja Lula da Silva entrou na discussão dizendo que "a taxação é para as empresas, e não para o consumidor".

A oposição caiu matando.

Segundo a Folha, o governo "mobilizou influenciadores" para tentar tornar a medida mais palatável.

O Felipe Neto fez uma thread sobre o assunto (clique aqui ou em "Leia a conversa completa no Twitter" para ver a íntegra). Ele disse à Folha que não está entre os influenciadores mobilizados pelo governo.

A medida vai afetar também a prática de "dropshipping", que é um nome chique para "atravessador".

Mas se você só quiser saber a resposta à pergunta "minha brusinha da Shein vai ficar mais cara?", a resposta é sim.

Núcleo Jornalismo
Compartilhar
Publicidade
Publicidade