PUBLICIDADE

Startup da França revela conceito de habitat para construção na Lua

A agência espacial italiana e a startup Thales Alenia Space fecharam um acordo para desenvolver um habitat que pode se tornar a primeira base permanente na Lua

30 nov 2023 - 14h16
(atualizado às 17h34)
Compartilhar
Exibir comentários

Mais um projeto de habitat lunar está em desenvolvimento. Através de um novo contrato, a Agência Espacial Italiana se uniu à startup Thales Alenia Space para trabalharem no projeto de um habitat de propósitos múltiplos na Lua, que pode se tornar o primeiro posto permanente da humanidade em nosso satélite natural.

Foto: NASA / Canaltech

No comunicado que divulga a parceria, a empresa explica que o "MPH [sigla de habitat de propósitos múltiplos] vai marcar um avanço histórico, como o primeiro módulo italiano de habitação operando na superfície lunar".

A empresa não deu detalhes sobre o projeto do habitat, mas as imagens com as representações dele sugerem que vai ter formato cilíndrico. O futuro habitat deve ser alimentado por painéis solares, e vai ter pernas articuladas para evitar que se movimente.

Representação do habitat lunar da Thales Alenia Space (Imagem: Reprodução/Thales Alenia Space )
Representação do habitat lunar da Thales Alenia Space (Imagem: Reprodução/Thales Alenia Space )
Foto: Canaltech

O MPH já passou pela Análise de Iniciação de Elemento, da NASA. Segundo a Thales, a avaliação mostrou funcionalidades críticas do módulo para a arquitetura do programa Artemis, da NASA, criado para estabelecer a presença humana permanente e sustentável na Lua. Depois, as instalações criadas podem servir como um trampolim para missões a destinos ainda mais distantes, como Marte.

Agora, a próxima etapa é a finalização da Análise de Conceito da Missão, que vai ser conduzida para alinhar os requisitos do projeto com aqueles exigidos pela agência espacial norte-americana. Esta fase deve ser concluída no início do ano que vem.

Vale lembrar que a Agência Espacial Europeia selecionou a Thales Alenia Space em 2022 para trabalhar em um equipamento experimental para extrair oxigênio da superfície da Lua. As amostras obtidas do nosso satélite natural mostram que o regolito lunar tem até 45% de oxigênio, ligado a compostos que formam minerais e vidro.

Fonte: Thales Alenia Space

Trending no Canaltech:

Canaltech
Compartilhar
Publicidade
Publicidade