PUBLICIDADE

Sonificação transforma imagens do centro da Via Láctea em música

A região central da Via Láctea foi transformada em música por meio de uma nova sonificação, feita com dados obtidos pelos telescópios Chandra, Hubble e Spitzer

21 nov 2023 - 12h49
(atualizado às 14h34)
Compartilhar
Exibir comentários

Uma nova sonificação revela o centro da Via Láctea de um jeito nunca visto antes — ou, melhor dizendo, ouvido. A compositora Sophie Kastner transformou os dados da região, obtidos por diferentes telescópios, na sinfonia chamada Where Parallel Lines Converge ("Onde Linhas Paralelas Convergem", em tradução literal).

Foto: NASA/CXC/SAO/STScI/JPL-Caltech / Canaltech

Ela trabalhou com três elementos principais na região, observados pelos telescópios Hubble, Spitzer e Chandra. O primeiro elemento é um sistema estelar duplo observado em raios X, e o outro, um grupo de filamentos em formato de arco. Já o terceiro é Sagittarius A*, o buraco negro supermassivo no coração da nossa galáxia.

Você confere o resultado no vídeo abaixo:

Imagens como as do vídeo acima são produzidas através dos dados registrados por telescópios, capturados a partir dos comprimentos de onda invisíveis aos olhos humanos. Depois, estes dados são transformados em formas visíveis para nós, como fotos.

Outra forma de revelar estes dados é através da sonificação, ou seja, da transformação deles em sons. Foi o caso da composição, que rendeu uma música dividida em três partes. "A luz dos objetos na parte superior da imagem é ouvida em tons mais altos, e a intensidade da luz controla o volume", explicaram os membros da equipe da sonificação.

Já as estrelas e fontes compactas receberam notas individuais, e as grandes nuvens de gás e poeira foram representadas por um som em evolução. Por fim, o crescendo (o momento em que o volume aumenta) acontece quando a composição chega à região brilhante, que é onde Sagittarius A* está.

O que é sonificação?

A sonificação é o processo que apresenta dados astronômicos por meio da audição, e não da visão, como é o caso das imagens de telescópios. Para isso, computadores mapeiam matematicamente os dados dos telescópios em sons com a ajuda de algoritmos. Assim, os dados são transformados em sons perceptíveis pela audição humana.

Além de ajudar os cientistas a identificarem dados que talvez passassem despercebidos nas versões originais (sinais mais fracos, por exemplo), a sonificação traz também acessibilidade. Com sonificações, pessoas com deficiências visuais podem explorar as fotos do espaço e os objetos nelas.

Fonte: Chandra

Trending no Canaltech:

Canaltech
Compartilhar
Publicidade
Publicidade