PUBLICIDADE

Destaque da NASA: Via Láctea e observatório são foto astronômica do dia

A foto astronômica destacada pela NASA traz o Observatório de La Silla, no Chile. Ao fundo, aparece a parte central da Via Láctea com estrelas e nebulosas

1 dez 2023 - 18h16
(atualizado às 20h46)
Compartilhar
Exibir comentários

A foto astronômica destacada pela NASA nesta sexta-feira (1º) traz o brilho da Via Láctea com suas inúmeras estrelas. Além do centro galáctico, a foto mostra também o Observatório de La Silla, localizado no Chile.

O Observatório de La Silla conta com três telescópios do Observatório Europeu do Sul, que também é responsável pela operação deles. Um destes instrumentos foi pioneiro na aplicação da óptica ativa, que permite controlar o formato dos espelhos em grandes telescópios com alta precisão.

Observatório La Silla, no Chile, junto da faixa central da Via Láctea (Imagem: Reprodução/José Rodrigues)
Observatório La Silla, no Chile, junto da faixa central da Via Láctea (Imagem: Reprodução/José Rodrigues)
Foto: Canaltech

O destaque na parte central da foto fica por conta do centro da Via Láctea. A região é formada por várias nuvens de poeira interestelar, estrelas e aglomerados delas e, claro, nebulosas dos mais diferentes tipos.

Se você observar bem esta região, talvez encontre o brilho avermelhado da Nebulosa da Laguna. Também chamada de M8, ela é uma região de formação estelar que aparece perto da Nebulosa Trífida, catalogada como M20.

O centro da Via Láctea

A Via Láctea é uma galáxia do tipo espiral barrada e seu disco mede aproximadamente 100 mil anos-luz de diâmetro. Em noites de céu limpo e sem poluição luminosa, é possível observar a luz das estrelas no centro galáctico, como mostrado na foto acima.

Se você vivesse por lá, veria o céu com um milhão de vezes mais estrelas do que costumamos observar. A estrela mais próxima da Terra além do Sol é Proxima Centauri, localizada a apenas quatro anos-luz dele; mas, no centro galáctico, as estrelas estão separadas por cerca de 0,4 anos-luz.

O coração da nossa galáxia abriga o buraco negro supermassivo Sagittarius A*. Ele tem cerca de quatro milhões de massas solares e é relativamente tranquilo, se comparado aos buracos negros supermassivos de outras galáxias. Astrônomos planejam usar o telescópio James Webb para entender melhor este comportamento.

Fonte: APOD

Trending no Canaltech:

Canaltech
Compartilhar
Publicidade
Publicidade