Monte seu e-commerce e divulgue sua marca no Terra

Homem perde R$ 500 mil em golpe de “sex-extorsão”; suspeitos são presos

Cinco pessoas foram presas suspeitas de fazer parte da associação criminosa que enganou vítima por meio das redes sociais

23 jun 2022 22h40
| atualizado às 22h42
Compartilhar
Homem perde R$ 500 mil em golpe de “sex-extorsão”; suspeitos são presos
Homem perde R$ 500 mil em golpe de “sex-extorsão”; suspeitos são presos
Foto: Divulgação/Polícia Civil

Cinco pessoas foram presas suspeitas de extorquir, durantes os meses de janeiro, fevereiro e março, um morador da cidade de Rio Verde (GO). De acordo com a Polícia Civil, a vítima foi enganada por meio das redes sociais e perdeu R$ 500 mil com o golpe de “sex-extorsão”. 

Conforme apurado pelo Terra, as Polícias Civis de Goiás e do Rio Grande do Sul deflagraram, na manhã desta quinta-feira, 23, a Operação Sem Fronteiras, ação conjunta com o objetivo de desarticular a associação criminosa. 

Publicidade

As investigações começaram porque, no início deste ano, a vítima, um homem de 30 anos, iniciou contato com um perfil no Instagram de uma jovem. Segundo a polícia, a conversa entre os dois ganhou cunho sexual e, então, um criminoso, se passando pelo suposto pai dessa garota, afirmou à vítima que a menina era menor de idade e que aquelas conversas causaram a ela muitos constrangimentos.

Em seguida, o criminoso simulou a necessidade de tratamento psiquiátrico da menor e até mesmo o seu suicídio. Assim, exigiu da vítima uma compensação financeira para se reparar, material e moralmente, esses danos.

Depois, os investigados, se passando falsamente por supostos advogados e autoridades públicas, falsos delegados de polícia e conselheiros tutelares, entraram em contato com a vítima, informando-lhe que ela havia cometido crimes em razão das conversas de natureza sexual com a garota.

Sob o argumento, os criminosos, fingindo serem agentes públicos corruptos e fazendo a vítima acreditar que havia cometido crimes relacionados à pedofilia, exigiram quantias dela, para que ela não sofresse sanções criminais.

Publicidade

De acordo com a polícia, foram reiteradas as quantias extorquidas, sempre precedidas de uma nova ameaça de punição legal, o que levou ao prejuízo de cerca de R$ 500 mil para a vítima.

Durante a operação desta quinta, a polícia cumpriu os mandatos de prisão temporária dos suspeitos, e cumpriu ainda 12 medidas cautelares de busca e apreensão. Foram realizadas buscas e prisões na região metropolitana de Porto Alegre, especificamente nas cidades de Novo Hamburgo, Taquara e São Leopoldo.

Algumas buscas foram feitas, inclusive, em presídios da região metropolitana da capital, em Novo Hamburgo, Charqueadas e Montenegro. Participaram da ação 50 policiais civis. Até o momento, três investigados não foram localizados.

As investigações agora seguem com o objetivo de se identificar novos envolvidos na prática criminosa e também de identificar o que foi feito com o dinheiro da vítima. A operação foi denominada de Sem Fronteiras pois as associações criminosas que atuam, como a que é alvo da investigação, vitimam pessoas de diferentes lugares.

Publicidade

Os investigados responderão pelos delitos de estelionato e extorsão. A operação foi conduzida pelo Grupo de Repressão a Crimes Patrimoniais (Gepatri) de Rio Verde, através do cartório de crimes cibernéticos, e Delegacia de Repressão aos Crimes Informáticos e Defraudadores de Porto Alegre, com apoio das delegacias locais gaúchas.

 

Fonte: Redação Terra
Fique por dentro das principais notícias
Ativar notificações