Tire a ideia do papel e crie hoje o site para o seu negócio com até 35% de desconto

Queiroga se irrita e faz gesto obsceno para manifestantes

Ministro da Saúde mostrou o dedo médio após comitiva de Jair Bolsonaro ser alvo de protestos

21 set 2021 08h01
| atualizado às 08h06
Compartilhar

Marcelo Queiroga, ministro da Saúde, mostrou irritação e respondeu com gesto obsceno os protestos de um grupo de brasileiros na noite de segunda-feira, em 20, em Nova York, nos Estados Unidos. O ministro, que faz parte da comitiva do presidente Jair Bolsonaro para a Assembleia-Geral da ONU, se levanta dentro do micro-ôninbus, vai até o vidro e mostra o dedo médio das duas mãos para os manifestantes, como mostra vídeo divulgado nas redes sociais. 

Queiroga mostra o dedo médio para manifestantes
Foto: Reprodução/Twitter

Um grupo pequeno protestava contra o mandatário brasileiro na calçada em frente à residência da missão nacional junto à ONU, onde a comitiva brasileira foi recepcionada para um jantar na noite de ontem. Os manifestantes também responderam com gestos obscenos. Antes de serem alvos do ministro, eles pediam pela saída de Jair Bolsonaro e chamaram o presidente de "genocida" e assassino". 

Publicidade

Na rua, um caminhão com um telão exibia frases em inglês com críticas ao presidente, como "Bolsonaro is burning the Amazon" (Bolsonaro está queimando a Amazônia).

Esse não foi o primeiro protesto contra a comitiva de Bolsonaro. Por onde o grupo passa em Nova York, existe manifestação e gritos contra o presidente, lembrando principalmente o grande número de vítimas por causa da covid-19 no Brasil.

 

 

Publicidade

 

Outro alvo nos protestos foi Eduardo Bolsonaro, filho 02 do presidente. O deputado federal foi xingado enquanto fazia compras na loja da Apple na 5ª avenida, uma das lojas mais famosas da marca.

Bolsonaro chega ao evento pressionado por líderes internacionais por não ter se vacinado contra a covid-19. O avanço da imunização global como saída para o fim da pandemia de coronavírus deve ser tema constante nos discursos desta terça.

A passagem de Bolsonaro por NY nos últimos dois dias foi marcada por constrangimentos em razão da falta de vacinação do mandatário brasileiro — que é o único do G-20 a não se vacinar. A situação foi assunto da reunião bilateral de Bolsonaro com o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson; foi abordada pelo prefeito de NY, Bill de Blasio; e fez a comitiva presidencial precisar driblar regras da cidade para circular e se alimentar.

Publicidade

Bolsonaro gravou e publicou nas redes sociais um vídeo feito na saída do evento, na noite de ontem, em que chama os manifestantes de "acéfalos". "Tem aproximadamente 10 pessoas aqui fazendo um escarcéu, pessoas fora de si, e logicamente, que a imprensa brasileira vai dizer que houve uma manifestação enorme contra mim aqui em Nova York", disse. "Esse bando que está aqui nem sabe o que está falando, está protestando e deveria estar num país socialista, não nos Estados Unidos", disse ele, antes de interagir com um apoiador.

*Com informações do Estadão Conteúdo

 

Fonte: Equipe portal
Está gostando da notícia? Fique por dentro das principais notícias
Ativar notificações