Monte seu e-commerce e divulgue sua marca no Terra

Petróleo fecha em baixa no dia, mas encerra semana com ganhos

21 jan 2022 18h17
Compartilhar

Os contratos futuros de petróleo fecharam em baixa nesta sexta-feira, em sessão na qual investidores realizam lucros e com a commodity sofrendo algumas correção, após atingir seu nível mais alto em sete anos. As perspectivas sugerem um mercado ainda apertado, com diversos riscos para a produção em integrantes da Organização dos Países Exportadores de Petróleo a aliados (Opep+), enquanto preocupações ambientais e sociais limitam novas explorações fora do grupo.

O petróleo WTI com entrega prevista para março fechou em baixa de 0,48% (US$ 0,41), a US$ 85,14 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex), enquanto o Brent para março caiu 0,55% (US$ 0,49), a US$ 87,89 o barril, na Intercontinental Exchange (ICE). Na semana, os contratos mais líquidos acumularam ganho de 1,55% e 2,13%, respectivamente.

Publicidade

O Commerzbank lembra que o Brent havia tocado máximas em sete anos nesta semana, o que abre espaço para realização de lucros, e considera que os contratos estão "cada vez mais desacoplados dos dados sobre fundamentos".

Na visão do Rabobank, a Opep continua com desempenho inferior às suas cotas, resultando em saldos mais apertados do que o esperado e, assim, apoiando os preços do petróleo.

O grupo de exportadores aumentou a produção em menos da metade dos esperados 400 mil barris por dia acordados em dezembro, com a Líbia e a Nigéria sofrendo quedas modestas de oferta durante o último mês, aponta o banco holandês. O desempenho inferior bastante destaca que a capacidade ociosa pode ser mais restrita do que o esperado fora da Arábia Saudita e dos Emirados Árabes Unidos, analisa.

O fornecimento de petróleo no Ocidente continua sob crescente pressão da base de investidores sensíveis a ESG, aponta o Rabobank. O tema ficou em alta nesta semana, com a Exxon Mobil anunciando sua intenção de ser neutra em carbono até 2050. "As grandes petrolíferas ocidentais e os perfuradores de xisto dos EUA estão enfrentando uma pressão crescente para reduzir as emissões de carbono, um tema que provavelmente sufocará o crescimento da produção de petróleo e gás fora da Opep nos próximos anos", avalia.

Publicidade

Além disso, a francesa Total e outras exploradoras anunciaram o fim de atividades em Mianmar, citando pressões que ocorrem desde o golpe militar no país. Hoje, o número de poços e plataformas de petróleo em atividade nos Estados Unidos caiu 1 na última semana, a 491, informou hoje a Baker Hughes, companhia que presta serviços ao setor.

Fique por dentro das principais notícias
Ativar notificações