Elon Musk levanta US$ 6 bilhões para financiar empresa de IA e desafiar OpenAI

Startup xAI desenvolve chatbot cuja missão é 'entender o universo', sem levar em conta o 'politicamente correto'

27 mai 2024 - 17h40
(atualizado às 20h00)
Bilionário diz que missão de Grok é ‘entender o universo’, sem levar em conta o ‘politicamente correto'
Bilionário diz que missão de Grok é ‘entender o universo’, sem levar em conta o ‘politicamente correto'
Foto: David Swanson/REUTERS

A xAI, empresa de inteligência artificial de Elon Musk, levantou US$ 6 bilhões de várias fontes, incluindo nomes de peso do Vale do Silício, como a16z (Andreessen Horowitz), Sequoia Capital e o príncipe da Arábia Saudita, Al Waleed bin Talal. Com o cheque, a a startup subiu a avaliação para US$ 24 bilhões, em meio a uma disputada corrida com OpenAI, Google e outros nomes.

O principal produto da xAI até o momento é o Grok, modelo de inteligência artificial generativa que rivaliza com o ChatGPT e funciona dentro do X, antigo Twitter. A IA é supostamente mais ousada e rebelde que os modelos concorrentes, respondendo com humor ácido a perguntas sensíveis e controversas, ao estilo do próprio bilionário.

Publicidade

"Os fundos da rodada serão usados para levar os primeiros produtos da xAI ao mercado, construir infraestrutura avançada e acelerar a pesquisa e o desenvolvimento de tecnologias futuras", diz em nota a startup, fundada por Musk em abril de 2023.

Parte desse montante deve ser investido na compra de hardware, como as placas de vídeo Blackwell B200 AI, da Nvidia, que custam entre US$ 30 mil e US$ 40 mil cada. De acordo com o The Information, Musk disse aos investidores que seu plano é lançar um novo centro de dados até o outono de 2025, por onde os modelos de IA podem ser treinados. Para alimentar seu chatbot, o Grok, a xAI precisaria do equivalente a 100 mil chips H100 atuais da Nvidia, segundo o site. Processadores H100 Hopper custam entre US$ 25 a US$ 40 mil cada.

A xAI também busca profissionais na área de engenharia e pesquisa, com pelo menos 18 vagas aberta, tanto para a região de São Francisco e Palo Alto quanto Reino Unido.

Em publicações no X, Elon Musk afirmou que há mais a ser anunciado nas próximas semanas. De acordo com o bilionário, a avaliação prévia da captação foi de US$ 18 bilhões. Musk ainda disse: "Junte-se à xAI se você acredita em nossa missão de entender o universo, que requer a busca rigorosa da verdade, sem levar em conta a popularidade ou o politicamente correto."

Publicidade

Disputa antiga

Musk, que cofundou a OpenAI, acusa o ChatGPT de ser "politicamente correto" e "woke", termo em inglês utilizado de forma irônica e crítica à "cultura da lacração" nos Estados Unidos.

A relação com Musk com a OpenAI é antiga. O presidente executivo da SpaceX, Tesla e X foi também cofundador da OpenAI em 2015. A então organização sem fins lucrativos tinha como objetivo desenvolver uma inteligência artificial para beneficiar a humanidade. Contudo, enquanto a Tesla desenvolvia sua própria IA, Musk começou a demonstrar preocupação com relação à condução da OpenAI, que passava a buscar interesses comerciais, bem como à sua tecnologia, a qual ele considerava potencialmente prejudicial. Divergindo com a diretoria, em 2018, Musk anunciou sua saída da empresa.

Já em março de 2024, Musk entrou com uma ação judicial contra a OpenAI e seu presidente Sam Altman, alegando que a parceria da empresa com a Microsoft vai contra o compromisso assumido de não priorizar o lucro. O processo também envolve quebra de contrato, quebra de dever fiduciário e práticas comerciais injustas. O bilionário também pede que seja criada uma liminar para impedir que qualquer pessoa, inclusive a Microsoft, tenha benefícios próprios com a tecnologia da OpenAI.

A OpenAI não deixou barato e, em resposta à ameaça de Musk, acusou o bilionário de tentar transformar o então laboratório sem fins lucrativos em uma operação comercial, bem como incorporá-la à sua própria empresa Tesla.

Publicidade

A empresa afirma que Musk, bem como outros integrantes da OpenAI, sabiam que não conseguiriam atingir seu objetivo de criar uma inteligência artificial geral (AGI, na sigla em inglês), com capacidade de simular tarefas cumpridas por humanos, se continuasse a ser uma organização sem fins lucrativos. Assim, quando os líderes concordaram em criar uma empresa com fins lucrativos, os membros não ficaram felizes com a proposta do bilionário obter a maioria de suas ações, o controle inicial do conselho e ser o executivo-chefe, que lhe daria uma grande concentração de poder.

Quando sua proposta foi recusada, Musk sugeriu que a OpenAI fosse incorporada à sua empresa de carros elétricos Tesla. Assim que viu que a OpenAI não seguiria na direção sugerida por ele, o bilionário deixou a companhia, afirmando que sua probabilidade de sucesso seria zero e que ele criaria uma inteligência artificial concorrente dentro da Tesla, algo que ainda não aconteceu.

Grok, a IA 'rebelde'

Além do processo, Musk também anunciou a xAI em abril de 2023, que lançou a IA Grok no X. Sua principal diferença é o seu senso de humor sarcástico e politicamente incorreto. A xAI afirma que o chatbot é capaz de responder até as perguntas mais controversas e rejeitadas por outros sistemas de IA, e que ele é "útil para pessoas de todas as origens e visões políticas".

Outro diferencial do chatbot, segundo a empresa, é sua atualização constante em tempo real, a partir de dados extraídos da plataforma X.

A ferramenta foi disponibilizada aos assinantes da modalidade Premium+ da rede social e custa entre R$ 84 e R$ 110 por mês. Seu acesso acontece dentro da própria plataforma e não existe um site ou app independente do chatbot.

Publicidade
TAGS
Fique por dentro das principais notícias
Ativar notificações