Destaque da NASA: planetas e eclipse solar são foto astronômica do dia

A foto destacada pela NASA hoje traz outro clique do eclipse solar total ocorrido na segunda (8), que mostra Vênus e Júpiter visíveis durante o fenômeno

10 abr 2024 - 15h18
(atualizado às 16h13)

O eclipse solar desta semana apareceu outra vez nas fotos destacadas pela NASA no site Astronomy Picture of the Day. A imagem publicada nesta quarta-feira (10) foi capturada por Stephane Vetter em Arkansas, nos Estados Unidos, e mostra Júpiter e Vênus durante o eclipse

Foto: Stéphane Vetter (Nuits sacrées) / Canaltech

Vênus é o segundo objeto mais brilhante do céu, e normalmente, fica visível antes do amanhecer, quando o Sol ainda está abaixo do horizonte. Já Júpiter aparece no fim de tarde, após o pôr do Sol.

Publicidade

Isso mudou durante o eclipse solar. Quem estava no caminho da totalidade pôde conferir a dupla de planetas ficando mais visível durante o auge do fenômeno — Vênus apareceu no canto inferior direito em relação ao Sol, e Júpiter, no canto inferior esquerdo. 

Além disso, o evento permitiu também a observação de algumas estrelas brilhantes. Capella, por exemplo, estava alta no céu na direção nordeste; Rigel também esteve visível, sendo encontrada na direção sudeste. 

Júpiter e Vênus visíveis à esquerda e direita, respectivamente, durante o eclipse solar (Imagem: Reprodução/Stéphane Vetter (Nuits sacrées)
Foto: Canaltech

Sirius, a estrela mais brilhante do céu noturno, não pôde ser vista por quem estava no estado do Texas, nos Estados Unidos, e nem no México. Nestas localidades, a estrela apareceu abaixo do horizonte. 

Eclipse solar de abril

Nesta segunda-feira (8), a Lua cobriu o Sol e formou um eclipse solar. Quem estava no caminho da totalidade, faixa de 185 km que passou pelo México, Estados Unidos e Canadá, viu o fenômeno do tipo total, em que nosso astro desaparece por inteiro atrás do disco lunar; fora dali, os observadores viram um eclipse solar do tipo parcial. 

Publicidade

Conforme o caminho da totalidade vai para a direção nordeste, a fase total do eclipse diminui por causa das mudanças da distância entre a Lua e a Terra. No litoral do México, por exemplo, a totalidade durou mais de quatro minutos; em Terra Nova e Labrador, no Canadá, esta fase durou apenas dois minutos e 52 segundos. 

O Brasil ficou de fora deste eclipse solar, mas a boa notícia é que vai haver outra oportunidade em alguns meses. No dia 2 de outubro, quem estiver no extremo sul da América Latina vai ver um eclipse solar do tipo anular; por aqui, vamos ver o fenômeno do tipo parcial nas regiões su, sudeste, parte do centro oeste e sul da Bahia. 

Fonte: APOD

Trending no Canaltech:

Fique por dentro das principais notícias
Ativar notificações