PUBLICIDADE
URGENTE
Saiba como doar qualquer valor para o PIX oficial do Rio Grande do Sul

Eventos sociais: o maior desafio para quem é vegano

De modo geral, ser vegano é muito tranquilo. Mas sair de casa e se alimentar em festas e restaurantes é bastante desafiador.

12 set 2023 - 11h10
Compartilhar
Exibir comentários
Foto: CanvaPro

Para vegetarianos e veganos os principais desafios estão em sair de casa, seja para comer em algum restaurante ou para ir em eventos com amigos e familiares. Porque de verdade mesmo, ser vegano em casa é fácil, simples e barato.

Toda vez que surge alguma festa ou comemoração é o momento em que eu percebo o quanto as pessoas estão inseridas em uma forma de consumo completamente condicionada. Em praticamente todas as comemorações que frequento, seja na periferia ou num bairro mais privilegiado, as opções de comida são recheadas de animais abatidos e derivados, como leite, ovos e mel.

Atualmente, muitos amigos e amigas se preocupam se tem opções para quem não come nada de origem animal. Mas mesmo assim, a dificuldade é imensa, porque as pessoas não estão acostumadas, e é comum, colocarem algo de origem animal sem pensar. Às vezes a pessoa te oferece algo de origem animal, e pensa, nossa, isso é de origem animal.

E toda vez que uma pessoa que é vegana está em alguma reunião familiar ou com amigos, só o fato de você não consumir o que todos estão consumindo vira uma questão.

Ou você é diferente demais, ou você está passando por uma fase, ou é fresco. Então acaba que os eventos sociais se tornam algo bastante complicado. E o veganismo ainda não é tão disseminado, não encontramos um vegano a cada esquina.

Eu tenho uma experiência recente muito ruim. Fui em uma saída de campo da faculdade em outra cidade, e a noite todos decidiram ir à pizzaria. Isso já gerou um desconforto, porque eu sabia que teria dificuldade, a cidade é pequena e todo mundo consumia animais e derivados, menos eu, e não deu outra, foi desastroso.

Chegando na pizzaria, já peguei o cardápio, bati o olho e nada. Todos os colegas e a professora estavam em ritmo de confraternização e descanso, pediram uma cerveja, ninguém estava preocupado, até porque a pizzaria é pensada para atender quem é onívoro.

Mas dois amigos, gente fina, sugeriram pedir uma pizza grande completamente modificada, sem queijo e outros ingredientes de origem animal. O resultado foi uma pizza totalmente sem sabor, o pessoal da pizzaria não se preocupou nem em colocar sal. Foi uma noite para esquecer. Mas não esperava que fosse diferente.

Outra experiência constrangedora e para esquecer, foi em um casamento de uma amiga da minha companheira. A amiga dela comentou o ano inteiro que teriam opções veganas, que nós passaríamos super bem no casamento dela.

Acreditamos e fomos ao casamento tranquilos, pensando que dessa vez seria diferente. Mas o resultado foi bem ruim. A amiga não colocou nenhum alimento vegetal, até mesmo a salada tinha queijo de búfalo, isso mesmo, na salada tinha queijo.

Saímos desse casamento com a barriga roncando e fomos até uma hamburgueria vegana em São Paulo. São coisas que passamos por escolher ter uma alimentação sem nada de origem animal, entendendo sempre que vivemos numa sociedade totalmente dependente de pedaços e derivados de animais. 

Mas não vai ser uma noite ou um evento social sem consumir um determinado tipo de produto que vai me fazer querer deixar de ter compaixão e ética perante o sofrimento de bilhões de animais e humanos. 

E passar por situações como essa só me fez enxergar ainda mais o quanto somos dependentes de produtos de origem animal, e o quanto se faz necessário o questionamento, a crítica e a reflexão sobre esse consumo/hábito.

Pega a visão: 

Esperar que todo lugar tenha opção vegana, esperar o mundo mudar e estar perfeito e sem nenhuma dificuldade, para então decidirmos tomar alguma decisão, é o mesmo que entender que não vamos sair do lugar, não vamos fazer nada. Porque o mundo nunca vai ser perfeito e as coisas nunca vão ser do jeito que a gente quer ou imagina que deveriam ser. Ainda mais numa sociedade extremamente dependente de produtos animais. 

Temos que olhar para as dificuldades e entender que elas são parte de uma ação, de uma atitude, faz parte da mudança e de novos aprendizados.

Vegano Periférico Leonardo e Eduardo dos Santos são irmãos gêmeos, nascidos e criados na periferia de Campinas, interior de São Paulo. São midiativistas da Vegano Periférico, um movimento e coletivo que começou como uma conta do Instagram em outubro de 2017. Atuam pelos direitos humanos e direitos animais por meio da luta inclusiva e acessível, e nos seus canais de comunicação abordam temas como autonomia alimentar, reforma agrária, justiça social e meio ambiente.
Compartilhar
Publicidade
Publicidade