PUBLICIDADE

Como pensam os veganos junk food que não ligam para a saúde

Se engana quem pensa que todos os veganos são saudáveis. É possível ser vegano e não se importar com a saúde.

13 set 2023 - 05h00
Compartilhar
Exibir comentários
Produtos ultraprocessados
Produtos ultraprocessados
Foto: CanvaPro

Atrelar o veganismo a um estilo de vida absurdamente saudável é tão comum quanto respirar. Mas o que muita gente não sabe, é que existem muitos veganos que não se preocupam com o que ingerem, em termos de nutrientes e calorias, apenas se o produto é de origem animal ou não.

Essas pessoas se tornaram veganas pelos animais e não por saúde. A ideia de que todos os veganos são saudáveis e natureba, que consomem frutas com quinoa e chia toda manhã, que se alimentam de forma ultra-saudável em todas as refeições, não condiz com a realidade e com o cotidiano de todos os veganos.

Em primeiro lugar, é preciso entender o porquê pensamos que todos os veganos são naturebas. Esses dias um amigo me disse: ‘’pô, você é todo natureba, né!?’’. Eu perguntei como assim? Veganismo e natureba não são sinônimos.

Uma coisa é fato, quando a gente se torna vegano, naturalmente a gente passa a se preocupar mais com o que vamos consumir, passamos a ler rótulos, aprendemos de cabo a rabo para que servem as proteínas, a vitamina B12, a importância do ferro e do cálcio.

E quando você é onívoro (se alimentam de tudo). Mas isso não se aplica a todos os veganos, isso é importante. Tendemos a escutar alguém dizer: ‘’sou vegano’’, e colocar a pessoa em uma caixinha, já com todo estereótipo e comportamento. As pessoas são muitas, complexas e variadas.

Muitos veganos não se preocupam muito com os nutrientes, comem frituras com frequência, alimentos açucarados e até mesmo ultraprocessados. Em sua defesa, essa galera, menciona que o veganismo não é sobre a gente, é sobre os animais, se o que eles comem não tem exploração animal, está tudo bem.

E nós conhecemos vários que pensam dessa forma: ‘’estou no veganismo pelos animais e vou continuar comendo da forma que eu quiser, ninguém tem que palpitar sobre o que eu como.’’

É mais comum encontrar veganos junk food no movimento punk e hard-core. Embora não possamos generalizar, dizer que todos os punks que são veganos e todos que são veganos e do hard-core não ligam para a saúde, podemos afirmar que é onde a ideia de veganismo e saúde está mais distante.

Muitos devem estar se perguntando, isso é bom, ou ruim? Na real, existem perspectivas e formas de pensar. Acreditamos que se a pessoa tem um bom nível de informação, sabe dos prejuízos de uma péssima alimentação e decidir por si ter uma alimentação nada saudável, está tudo certo, não tem problema nenhum. Até porque a pessoa tem a autonomia de escolha dela, mesmo que seja nocivo a ela.

Agora, tentar promover um veganismo junk food para a população, ao nosso ver, é um equívoco, pois o que o povo menos precisa é não se preocupar com o que come.

A nossa população está morrendo pelo que ingere, pelo alto consumo de ultraprocessado, baixo consumo de fibras e vitaminas. Somos adeptos de uma alimentação saudável, mas não bitolada e com certeza sem terrorismo alimentar, como ocorre em outro extremo, e isso quer dizer que não precisamos contar calorias e deixar de comer um lanche, um doce, um pastel ou algo mais calórico quando temos vontade.

A nossa preocupação com a alimentação vem de uma perspectiva mais política. Isso quer dizer que consideramos a alimentação consciente como fundamental para uma sociedade saudável, e que pessoas bem nutridas e saudáveis têm mais chance de pensar para além do convencional.

E a nossa preocupação é com a maioria da população que não tem informação e acesso, e sofre com a dificuldade de conseguir se alimentar de maneira adequada.

Por isso, entendemos que sim, vai ter gente consumindo com frequência produtos sem nada de origem animal nocivos à saúde humana, mas optamos por propagar um veganismo equilibrado, aliado à agricultura familiar, baseado em comida de verdade, e que as pessoas realmente se preocupem com o que estão ingerindo diariamente. É muito importante ter uma alimentação colorida, com diversidade e variedade.

Vegano Periférico Leonardo e Eduardo dos Santos são irmãos gêmeos, nascidos e criados na periferia de Campinas, interior de São Paulo. São midiativistas da Vegano Periférico, um movimento e coletivo que começou como uma conta do Instagram em outubro de 2017. Atuam pelos direitos humanos e direitos animais por meio da luta inclusiva e acessível, e nos seus canais de comunicação abordam temas como autonomia alimentar, reforma agrária, justiça social e meio ambiente.
Compartilhar
Publicidade
Publicidade