PUBLICIDADE

Conheça a sertralina: o remédio regulador de serotonina

A ação da sertralina está relacionada à regulação dos níveis de serotonina no cérebro, influenciando o humor e as emoções. Conheça!

9 out 2023 - 14h20
(atualizado em 19/10/2023 às 11h56)
Compartilhar
Exibir comentários
Foto: Envato Elements

O que é a sertralina

Medicamento amplamente utilizado, a sertralina é pertencente à classe dos inibidores seletivos de recaptação de serotonina (ISRS). Ela é indicada para tratar distúrbios de humor, como depressão, transtorno de ansiedade social, TOC e transtorno do pânico. Vamos saber mais:

Como um ISRS, a sertralina atua inibindo a recaptação de serotonina nos neurônios, aumentando sua disponibilidade. Isso ajuda a melhorar os sintomas de depressão e transtornos de ansiedade, alterando a química cerebral.

  • A dosagem recomendada do medicamento varia conforme a condição tratada, comumente começando entre 25 mg e 50 mg por dia.
  • Com o passar do tempo, o médico pode ajustar a dose para atender às necessidades específicas do paciente.
  • A sertralina é absorvida pelo organismo após a ingestão oral e normalmente é ingerida uma vez ao dia.
  • Alguns dos efeitos colaterais comuns do medicamento incluem náuseas, insônia, tontura e boca seca.
  • Efeitos colaterais graves, embora raros, podem incluir reações alérgicas e alterações no ritmo cardíaco, por exemplo.
  • Pessoas com histórico de convulsões, problemas renais ou hepáticos devem usar sertralina com precaução.
  • Não é recomendado misturar sertralina com certos medicamentos e substâncias, como inibidores da monoamina oxidase (IMAO).
  • A interrupção abrupta do medicamento pode causar sintomas de abstinência e piora dos sintomas originais.
  • Como um ISRS, a sertralina é valiosa para tratar várias condições de saúde mental, mas deve ser usada sob orientação médica para reduzir riscos e ampliar benefícios.
  • Todas as informações aqui são gerais e apenas educativas. A consulta a um profissional de saúde é fundamental para uma orientação individualizada.

Mecanismo de ação da sertralina

De maneira geral, o medicamento age regulando a serotonina no cérebro, melhorando assim sintomas de ansiedade, depressão e TOC (transtorno obsessivo-compulsivo). Pacientes podem sentir melhora gradual dos sintomas, evidenciando o ajuste dos níveis de serotonina ao longo do tempo. Saiba mais:

A sertralina age no cérebro, ajustando os níveis de serotonina, um neurotransmissor associado ao humor. Ela é um inibidor seletivo de recaptação de serotonina (ISRS), bloqueando a recaptação da serotonina pelos neurônios. 

Isso resulta em mais serotonina disponível nas sinapses, melhorando a comunicação entre as células cerebrais. A serotonina está ligada à regulação do humor, emoções e comportamentos, afetando estados de ansiedade e depressão.

No transtorno de ansiedade, ajuda a diminuir a reatividade do sistema nervoso a estímulos negativos. Já no TOC, reduz a atividade excessiva em circuitos cerebrais relacionados a pensamentos obsessivos e comportamentos compulsivos.

No transtorno de pânico, ela atua na regulação da resposta ao medo, diminuindo ataques de pânico. O medicamento leva semanas para mostrar efeitos, pois a regulação dos níveis de serotonina é um processo gradual.

A sertralina influencia os processos neuroplásticos, alterando as conexões entre neurônios em áreas-chave do cérebro. O aumento da serotonina também afeta outros neurotransmissores - como a noradrenalina - que têm papéis na regulação do humor.

Embora o mecanismo de ação da sertralina seja parcialmente entendido, seus efeitos positivos são bem documentados. É importante usar a sertralina conforme prescrito pelo médico para alcançar a ação terapêutica desejada.

Indicações de uso da sertralina

O medicamento é prescrito para tratar uma variedade de condições de saúde mental, incluindo transtorno depressivo maior, ansiedade social, transtorno do pânico e transtorno de estresse pós-traumático. Mas a consulta médica é fundamental. Vamos conhecer as principais condições em que seu uso é receitado:

  • No transtorno depressivo maior, a sertralina ajuda a aliviar os sintomas de tristeza persistente, perda de interesse e energia reduzida.
  • Já para a ansiedade social, reduz o medo excessivo de situações sociais e melhora a capacidade de interagir com os outros.
  • No transtorno do pânico, ajuda a controlar ataques de pânico repentinos e a reduzir a ansiedade geral.
  • Além disso, no transtorno de estresse pós-traumático, pode aliviar os sintomas associados a eventos traumáticos passados.
  • Também pode ser usado para tratar o transtorno obsessivo-compulsivo, reduzindo pensamentos obsessivos e comportamentos compulsivos.
  • Em determinados casos, o medicamento é indicado para o tratamento de síndromes pré-menstruais graves.
  • Crianças e adolescentes com transtornos de ansiedade também podem se beneficiar com o uso de sertralina.
  • A sertralina pode ser considerada ainda para a terapia de distúrbios alimentares, como bulimia nervosa.
  • É importante que seu uso seja acompanhado por um médico para avaliar a adequação para cada caso.
  • O profissional de saúde considerará a gravidade dos sintomas e os potenciais benefícios e riscos do tratamento.
Foto: Envato Elements

Sertralina: posologia e administração

A dosagem inicial comum do medicamento é de 50 mg por dia, podendo ser tomada com ou sem alimentos. A administração da sertralina deve ser monitorada pelo médico, permitindo ajustes adequados com base na resposta do paciente e na condição tratada. Veja outras características sobre esse tópico:

  • Em alguns casos, a dose inicial de sertralina pode ser menor, começando com 25 mg por dia, sobretudo para idosos. De maneira geral, o medicamento é administrado uma vez ao dia, de manhã ou à noite. 
  • Adultos e crianças com mais de 6 anos podem ser tratados com sertralina, seguindo orientação médica. O medicamento está disponível em comprimidos de diferentes dosagens, permitindo um ajuste preciso da dose. 
  • Deve-se considerar que a resposta ao tratamento pode levar algumas semanas para se manifestar completamente. É sempre muito importante que o paciente não altere a dose por conta própria, sem a orientação do médico. 

Se ocorrerem efeitos colaterais, por exemplo, o médico pode ajustar a dose ou a forma de administração. Pode levar algum tempo para encontrar a dosagem mais eficaz e tolerável para cada paciente. 

  • A duração do tratamento com sertralina varia, mas muitas vezes é recomendado continuar por vários meses. A interrupção do medicamento geralmente é feita gradualmente para minimizar sintomas de abstinência. 

Contraindicações da sertralina

Como todo medicamento, a sertralina não deve ser usada por quem tem alergia a ela ou a componentes de sua fórmula. Além disso, pacientes em uso de inibidores da monoaminoxidase (IMAO) não devem tomar sertralina devido ao risco de interações. Conheça outras características:

  • O uso de sertralina com IMAO pode causar uma condição grave conhecida como síndrome serotoninérgica, causada pelo excesso de serotonina no cérebro.
  • Além disso, pessoas com histórico de convulsões ou epilepsia podem ser desaconselhadas a usar sertralina.
  • Indivíduos com problemas hepáticos graves devem evitar o uso de sertralina devido à sua metabolização no fígado.
  • Outro ponto é que a sertralina não é indicada para menores de 6 anos e deve ser usada com cautela em crianças e adolescentes.
  • Pacientes em tratamento com outros medicamentos que aumentam o risco de sangramento devem ter precaução ao usar sertralina.
  • A gravidez e a amamentação devem ser discutidas com um médico, pois os benefícios e riscos precisam ser avaliados.
  • Um aspecto adicional é que pessoas com problemas renais graves podem necessitar de ajustes na dose de sertralina.
  • O uso de sertralina deve ser interrompido antes da administração de tratamentos eletroconvulsivos.
  • O médico deve ser informado sobre todos os medicamentos, suplementos e ervas que o paciente esteja tomando.
  • Condições médicas preexistentes devem ser sempre consideradas antes do uso de sertralina.
  • Em situações de cirurgia e procedimentos, o uso de sertralina pode necessitar de ajustes temporários.

Efeitos colaterais da sertralina

Algumas das reações adversas comuns relacionadas ao uso da sertralina incluem náuseas, que costumam diminuir com o tempo. Outros possíveis efeitos da utilização do medicamento são diarreia, boca seca, tontura, insônia e sonolência excessiva. Vamos saber mais sobre esse assunto:

Alguns pacientes podem ter agitação, ansiedade ou alterações no apetite ao utilizar a sertralina. Alterações no desejo sexual, como disfunção erétil ou diminuição da libido, são possíveis efeitos. Em casos raros, ela pode causar ganho de peso. 

O aumento da ansiedade ou surgimento de pensamentos suicidas é possível em alguns casos.Tremores, sudorese excessiva e confusão também foram relatados. Caso haja reações alérgicas, como erupções cutâneas graves, busque assistência médica.

Efeitos colaterais graves, como batimentos cardíacos acelerados, convulsões ou hemorragias, exigem atenção médica imediata. Em caso de efeitos colaterais preocupantes ou persistentes, é importante relatar ao médico.

A intensidade dos efeitos colaterais pode variar de pessoa para pessoa. Alguns efeitos, como náuseas, tendem a diminuir após algumas semanas de tratamento.

Acompanhamento médico regular pode ajudar a monitorar e gerenciar os efeitos.

Interações medicamentosas da sertralina

A sertralina pode interagir com outros medicamentos, incluindo inibidores da monoaminoxidase (IMAO) e certos antidepressivos. Alguns deles, como os ISRS, quando combinados com sertralina, podem aumentar o risco de efeitos colaterais. Vamos ver outras informações sobre esse assunto:

  • Medicamentos que afetam a coagulação do sangue podem aumentar o risco de hemorragias quando tomados com sertralina.
  • É importante informar o médico sobre todos os medicamentos, incluindo suplementos, ervas e remédios de venda livre.
  • Anti-inflamatórios não esteroides (AINEs) podem aumentar o risco de sangramento em combinação com sertralina.
  • Alguns medicamentos para enxaqueca e transtornos de humor também podem interagir com a sertralina.
  • Medicamentos para tratamento de arritmias cardíacas podem ter sua eficácia ou riscos aumentados quando usados com sertralina.
  • A combinação de sertralina com certos antipsicóticos pode aumentar o risco de efeitos colaterais neurológicos.
  • É sempre essencial seguir as orientações médicas sobre a administração de sertralina e outros medicamentos.
  • O profissional de saúde considerará as interações medicamentosas ao prescrever sertralina e ajustará o tratamento conforme necessário.
  • Pacientes devem relatar qualquer efeito colateral ou mudança inesperada ao médico para avaliar possíveis interações.
  • A consulta médica é crucial antes de iniciar, interromper ou alterar medicamentos enquanto se está em tratamento com sertralina.
Foto: Envato Elements

Advertências e precauções com a sertralina

A sertralina exige alguns cuidados e monitoramento, especialmente em grupos sensíveis ou com condições médicas preexistentes. A consulta médica é sempre essencial antes de iniciar o tratamento com o medicamento, sobretudo para grupos de risco. Vamos saber mais sobre isso:

Pacientes mais jovens, especialmente menores de 24 anos, podem ter um aumento do risco de ideação suicida ao iniciar o tratamento com sertralina. Qualquer mudança nos padrões de pensamento ou comportamento deve ser relatada ao médico.

A sertralina deve ser usada com cautela em idosos, pois eles podem ser mais sensíveis aos efeitos colaterais. Além disso, pacientes com histórico de doença hepática devem ser monitorados rigorosamente ao usar o medicamento.

A interrupção abrupta da sertralina pode levar a sintomas de abstinência, incluindo tontura e irritabilidade. Pessoas com histórico de convulsões devem ser observadas quanto a possíveis aumentos de frequência.

A combinação de sertralina com outros medicamentos exige monitoramento para interações e efeitos colaterais. A terapia deve ser reavaliada periodicamente para determinar se a continuação é necessária ou adequada.

Durante a gravidez, os benefícios e riscos do uso de sertralina devem ser cuidadosamente avaliados. O uso do medicamento durante a amamentação também requer avaliação médica devido ao risco potencial para o bebê.

Pessoas com histórico de mania ou hipomania podem ser mais propensas a reações adversas com a sertralina. Já em pacientes com doenças cardíacas, o medicamento deve ser usado com cautela, pois pode afetar o ritmo cardíaco.

Armazenamento e conservação da sertralina

A maneira mais adequada de armazenar a sertralina é essencial para garantir sua eficácia e segurança. No entanto, se houver dúvidas sobre esse armazenamento, um farmacêutico ou profissional de saúde poderá fornecer orientações adicionais. Vamos conhecer outras informações sobre como conservar o medicamento:

  • A sertralina deve ser sempre armazenada em local fresco e seco, protegida da umidade e da luz direta.
  • Outra orientação importante é manter a medicação em sua embalagem original, com a tampa bem fechada.
  • Além disso, evite armazenar a sertralina no banheiro, onde a umidade pode ser alta e comprometer a eficácia do medicamento.
  • Certifique-se que a temperatura ambiente seja adequada, geralmente entre 
  • 20 °C e 25 °C. Não congele a sertralina, pois isso pode afetar sua eficácia. 
  • Mantenha o medicamento fora do alcance de crianças e animais de estimação. Não utilize a sertralina após a data de validade indicada na embalagem.
  • Se for necessário descartar a sertralina, siga as orientações locais para o descarte adequado do medicamento.
  • Caso perceba alguma alteração na cor, odor ou aparência do medicamento, consulte um médico ou farmacêutico.
  • A sertralina líquida, se disponível, também deve ser mantida na embalagem original e protegida da umidade.
  • Jamais compartilhe a sertralina com outras pessoas, mesmo que elas apresentem sintomas semelhantes.
  • Mantenha um registro da quantidade de medicamento restante para facilitar o controle de doses.

Informações adicionais sobre a sertralina

A sertralina é apresentada em comprimidos de diferentes dosagens, fabricantes e  datas de validade. Informações adicionais sobre o medicamento podem ser obtidas por meio de profissionais de saúde, bula ou atendimento farmacêutico. Conheça outras informações relevantes:

A sertralina é frequentemente comercializada em forma de comprimidos revestidos, disponíveis em diferentes dosagens. O fabricante pode variar com base no país e região, mas marcas comuns incluem Zoloft, Tolrest, além de genéricos.

A data de validade da sertralina é indicada na embalagem e deve ser respeitada para garantir eficácia. Medicamento regulamentado, o número de registro da sertralina no Brasil é 183260129, segundo a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Esse número de registro é usado para rastrear a aprovação e regulamentação do medicamento pelas autoridades competentes. As apresentações da sertralina podem variar, incluindo comprimidos de diferentes dosagens e embalagens.

É importante verificar a embalagem para confirmar a dosagem exata e seguir as orientações médicas. A identificação da sertralina geralmente é feita pelo nome do princípio ativo e a dosagem do medicamento.

A embalagem pode conter informações sobre armazenamento, precauções e instruções de uso. A sertralina pode ser encontrada em diferentes cores e formatos de comprimidos, dependendo do fabricante.

A disponibilidade da sertralina pode variar de acordo com a legislação de cada país.

O médico ou o farmacêutico pode fornecer informações mais detalhadas sobre a sertralina específica disponível em sua região.

Fontes:
 
Drugs.com. Sertraline. Disponível em: 
<https://www.drugs.com/sertraline.html>. Acesso em: 10.ago.2023.
 
Mayo Clinic. Sertraline (Oral Route). Disponível em: 
<https://www.mayoclinic.org/drugs-supplements/sertraline-oral-route/proper-use/drg-20065940>. Acesso em: 10.ago.2023.
 
MedLine Plus. Sertraline. Disponível em: 
<https://medlineplus.gov/druginfo/meds/a697048.html>. Acesso em: 10.ago.2023.
 
WebMD. Understanding Depression - Diagnosis and Treatment. Disponível em: 
<https://www.webmd.com/depression/understanding-depression-treatment>. Acesso em: 10.ago.2023.
Fonte: Conteúdo Urbano
Compartilhar
Publicidade
Publicidade