PUBLICIDADE

Cirurgia de Catarata: O Que É, Procedimento e Recuperação

Cerca de 14 milhões de brasileiros com 50 anos ou mais sofrem com catarata. Acesse este artigo e saiba muito mais sobre cirurgia de catarata

18 set 2023 - 22h59
Compartilhar
Exibir comentários
Foto: Envato Elemets

Cirurgia de catarata: o que esperar do procedimento e recuperação

Cerca de 14 milhões de brasileiros com 50 anos ou mais sofrem com catarata, segundo uma pesquisa divulgada em 2022 pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Isso significa que uma em cada quatro pessoas convive com o problema nessa faixa etária ou 25% do total. Vamos entender agora o que é a catarata e quando a condição requer cirurgia.

Catarata: sintomas

Como o levantamento feito pela Fiocruz deixa claro, a catarata é um problema bastante comum na população brasileira acima dos 50 anos. Saiba mais sobre essa condição e seus principais sintomas.

  • A catarata é uma condição ocular comum que faz com que o cristalino, a lente natural do olho, fique com um aspecto opaco.
  • Tal condição se desenvolve gradualmente com o envelhecimento e é uma das principais causas de perda de visão em todo o mundo.
  • Os principais sintomas incluem visão embaçada, cores desbotadas, sensibilidade à luz e dificuldade em enxergar à noite.
  • Outros sinais são visão dupla, halos ao redor das luzes, necessidade frequente de alterar a prescrição dos óculos e dificuldade em ler letras pequenas.
  • A enfermidade ainda pode ser causada pela exposição prolongada ao sol, lesões oculares, certos medicamentos e doenças, como diabetes, por exemplo.
  • Existem diferentes tipos - catarata nuclear (no núcleo do cristalino), catarata cortical (nas bordas do cristalino) e catarata subcapsular posterior (na parte posterior do cristalino).
  • O tratamento requer cirurgia para remover o cristalino opaco e substituí-lo por uma lente intraocular artificial.
  • A cirurgia é considerada segura e eficaz, com a maioria dos pacientes experimentando uma melhora significativa na visão após o procedimento.
  • O pós-operatório costuma ser curto, com a maioria dos pacientes retornando às suas atividades normais logo após a operação.
  • É importante consultar um oftalmologista regularmente para exames oculares de rotina e detecção precoce da catarata, pois o diagnóstico precoce pode permitir um tratamento mais eficaz.

Indicações para a cirurgia de catarata

Embora a catarata seja a causa mais comum de perda de visão em todo o mundo, ela é uma condição tratável. Mas fica a dúvida: quando é recomendado realizar um procedimento cirúrgico? Alguns dados ajudam a entender isso melhor.

Segundo especialistas, a cirurgia de catarata é indicada quando a visão comprometida pela catarata afeta significativamente a qualidade de vida da pessoa. A decisão de realizá-la é baseada na avaliação do oftalmologista e no impacto da doença nos sintomas e atividades diárias do paciente.

A perda de visão que afeta a capacidade de ler, dirigir, realizar tarefas diárias ou desfrutar de hobbies pode indicar a necessidade de cirurgia. Outro ponto é que se ela compromete a visão a ponto de dificultar a realização de atividades importantes, como o trabalho, a cirurgia pode ser recomendada.

Além disso, a cirurgia de catarata também pode ser uma alternativa para pessoas com outras condições oculares, como glaucoma, que podem se beneficiar de uma cirurgia combinada. Casos de catarata congênita, que afeta recém-nascidos ou crianças pequenas, podem exigir cirurgia para evitar a interferência no desenvolvimento visual.

A cirurgia também pode ser uma opção quando a catarata causa uma mudança significativa na prescrição dos óculos e dificuldade em obter uma visão adequada. Pacientes com catarata que experimentam visão dupla ou halos ao redor das luzes podem ser indicados para o procedimento cirúrgico.

Uma cirurgia desse tipo costuma ser recomendada ainda para pessoas com catarata secundária causada por medicamentos, como corticosteroides, ou por outras condições de saúde, como o diabetes. A decisão pela cirurgia é algo individualizado - cada caso é único e deve levar em conta as características de cada paciente.

A escolha pelo procedimento cirúrgico deve ser sempre discutida entre o paciente e o oftalmologista. Na decisão, deve-se levar em consideração fatores como a gravidade dos sintomas visuais, o impacto na qualidade de vida e a interferência nas atividades diárias da pessoa.

Preparação pré-operatória:

Já vimos quais as principais recomendações para que uma pessoa seja operada de catarata. Entenda agora o que esperar antes do procedimento.

  • Antes da cirurgia, é necessária uma avaliação oftalmológica completa para determinar a saúde ocular geral.
  • O médico irá revisar o histórico médico do paciente, incluindo medicações, alergias e condições de saúde pré-existentes que possam afetar o procedimento.
  • O médico pode solicitar exames adicionais, como medidas de pressão ocular e medições do comprimento do olho.
  • É preciso ficar um período sem usar lentes de contato antes da cirurgia, pois elas podem alterar a forma da córnea.
  • Na maioria dos casos, não é necessário interromper medicações orais antes da cirurgia, a menos que especificamente instruído pelo médico.
  • O médico pode prescrever colírios antibióticos ou anti-inflamatórios para serem usados antes e após a cirurgia, a fim de prevenir infecções e reduzir a inflamação.
  • O paciente deve estar com um acompanhante para a cirurgia, já que é preciso alguém para auxiliar no transporte e nas instruções pós-operatórias.
  • No dia da cirurgia, há instruções para não comer ou beber nada nas horas que antecedem o procedimento.
  • O médico pode orientar sobre quais medicações podem ser tomadas antes da cirurgia, como aquelas para controlar a pressão arterial ou diabetes.
  • O paciente será informado sobre quaisquer restrições pós-operatórias, como evitar esforço físico intenso e não esfregar ou pressionar o olho operado.
Foto: Envato Elemets

Tipos de cirurgia

Existem diferentes abordagens e técnicas quando o assunto é cirurgia para tratar a catarata. Vamos conhecer as principais características de cada uma delas.

A cirurgia de catarata mais comum é a chamada facoemulsificação, na qual a catarata é fragmentada e removida usando ultrassom. Uma lente intraocular é inserida para substituir a catarata removida e corrigir a visão.

Uma abordagem alternativa para casos mais avançados é a cirurgia extracapsular, quando a catarata é removida como uma peça única. Aqui, a lente intraocular é implantada em uma posição diferente em comparação com a facoemulsificação.

Uma terceira opção é a cirurgia com laser femtosegundo (femtoseconds, em inglês) para realizar algumas etapas do procedimento, como a abertura da cápsula do cristalino. Este tipo de cirurgia é capaz de oferecer precisão adicional e ajudar a personalizar o procedimento.

Já a cirurgia refrativa pode ser feita simultaneamente com a remoção da catarata para corrigir condições como miopia, hipermetropia ou astigmatismo. Nela, lentes intraoculares especiais são implantadas para a correção adicional da visão, além da remoção da catarata.

Por fim, a facoemulsificação a laser combina a facoemulsificação tradicional com o uso de um laser para ajudar na fragmentação da catarata. A escolha do tipo de cirurgia depende das características individuais do paciente e das preferências do cirurgião.

Anestesia e sedação

Por se tratar de um procedimento realizado nos olhos, uma área naturalmente sensível, a anestesia e a sedação são opções utilizadas para garantir o conforto durante a cirurgia de catarata. Conheça mais dados sobre o assunto.

  • Antes da cirurgia, o médico discutirá as opções de anestesia e de sedação com o paciente e fornecerá os dados necessários para tomar uma decisão.
  • Durante o procedimento, é comum aplicar anestesia local e sedação como formas de assegurar alívio e proteção ao paciente.
  • A anestesia local envolve o uso de colírios anestésicos para adormecer o olho, eliminando a dor durante a cirurgia.
  • Além do colírio, o paciente pode receber uma leve sedação para ajudar a relaxar e diminuir a ansiedade durante o procedimento.
  • A sedação pode ser administrada por via oral, intravenosa ou inalatória, dependendo das necessidades individuais do paciente.
  • Uma sedação leve ajuda a manter o paciente calmo e cooperativo durante a cirurgia, sem induzir um estado de sono profundo.
  • Em alguns casos, pode ser necessária anestesia geral, especialmente em pacientes com condições médicas específicas ou que não tolerem a anestesia local. Com anestesia geral, o paciente está inconsciente e não sente dor.
  • O tipo de sedação e de anestesia é decisão determinada pelo cirurgião com base na saúde e nas preferências do paciente.
  • É importante seguir as instruções antes da cirurgia, como evitar alimentos e líquidos nas horas que antecedem o procedimento, conforme orientado pela equipe médica.

Passo a passo da cirurgia

Verificamos os pontos que antecedem o procedimento cirúrgico para tratar a catarata. Agora vamos ver em detalhes cada uma das etapas envolvidas no processo. Trata-se de um trabalho rápido e considerado relativamente simples.

Em geral, a cirurgia de catarata é feita em ambulatório, não exigindo internação hospitalar. Antes da cirurgia, colírios dilatadores são aplicados para expandir a pupila e facilitar a remoção da catarata.

O cirurgião faz uma pequena incisão no olho para acessar o cristalino nublado e removê-lo. Na técnica de facoemulsificação, uma sonda de ultrassom é usada para quebrar a catarata em pequenos fragmentos antes de removê-la.

A catarata é removida através da incisão e uma lente intraocular é inserida para restaurar a visão. A lente intraocular pode ser implantada dentro da cápsula do cristalino ou em outra posição, dependendo do tipo de cirurgia.

Após o implante de lente intraocular, o cirurgião fecha a incisão no olho com suturas ou deixando-a autosselante. A duração da cirurgia pode variar, mas em média é de 10 a 20 minutos.

Depois da cirurgia, o paciente vai para uma área de recuperação, com monitoramento da pressão intraocular e da visão. É importante seguir as instruções pós-operatórias, como o uso de colírios e evitar atividades extenuantes na recuperação.

Foto: Envato Elemets

Recuperação pós-operatória

Concluída a cirurgia, começam as etapas de cuidados e orientações para a reabilitação completa do paciente. Veja quais são os principais pontos dessa fase.

  • Após a cirurgia, é comum ter um curativo protetor sobre o olho operado durante as primeiras horas.
  • É normal sentir desconforto leve, irritação ou sensação de corpo estranho no olho operado nos primeiros dias.
  • Em geral, o médico prescreverá colírios para ajudar na cicatrização e prevenir infecções após a cirurgia.
  • É importante seguir o cronograma de aplicação dos colírios conforme as instruções do médico para obter melhores resultados.
  • Durante a recuperação, evite esfregar ou pressionar o olho operado e evite atividades físicas extenuantes que possam aumentar a pressão intraocular.
  • Use óculos de sol ou protetor ocular recomendado pelo médico para proteger o olho operado da luz intensa e do contato acidental.
  • É normal experimentar visão embaçada, visão dupla ou alterações temporárias na percepção de cores durante os primeiros dias após a cirurgia.
  • Evite nadar em piscinas ou mergulhar em águas naturais durante a recuperação para reduzir o risco de infecção.
  • Agende consultas de acompanhamento com o médico para monitorar a recuperação e ajustar os medicamentos, se necessário.
  • Entre em contato com o médico imediatamente se tiver dor intensa, vermelhidão intensa, perda súbita de visão ou outros sinais preocupantes durante a recuperação.

Resultados e expectativas:

O que esperar em termos de visão e qualidade de vida após a cirurgia? Quanto tempo até a visão se restabelecer? Será que a percepção de cores e nitidez mudam com o procedimento? Vamos conhecer algumas características e efeitos pós-cirúrgicos.

Após a cirurgia de catarata, a maioria dos pacientes experimenta uma melhora significativa na visão. Em geral, a recuperação de uma cirurgia de catarata é rápida e a visão continua a melhorar nos dias e semanas seguintes.

Pacientes costumam relatar visão mais clara e brilhante após a remoção da catarata. Depois da cirurgia, muitos pacientes não precisam mais usar óculos de grau ou, às vezes, usam óculos com uma prescrição menor.

De maneira geral, a cirurgia de catarata pode melhorar a percepção das cores e a nitidez da visão do paciente. A visão geralmente se estabiliza completamente em algumas semanas após o procedimento.

Muitos pacientes relatam melhorias na qualidade de vida após a cirurgia, conseguindo desempenhar as atividades diárias com mais facilidade. A cirurgia, no entanto, não corrige problemas oculares adicionais, como a degeneração macular, que podem afetar a visão central.

É essencial seguir as recomendações quanto ao uso de colírios e retornar para as consultas de acompanhamento para garantir uma recuperação adequada. Cada caso é único, e é importante discutir as expectativas com o oftalmologista antes da cirurgia.

Possíveis complicações

Como todo e qualquer procedimento médico, uma cirurgia de catarata envolve riscos e requer medidas para minimizar potenciais problemas. Trata-se, porém, de um processo considerado como de baixa complexidade. Conheça mais sobre o assunto.

  • A cirurgia é geralmente segura, mas como em qualquer procedimento cirúrgico, existem riscos potenciais.
  • Entre as possíveis complicações estão infecção, inflamação, sangramento e acúmulo de fluido na retina.
  • Outros problemas menos comuns podem incluir deslocamento da lente artificial, glaucoma, descolamento de retina e edema macular.
  • Para minimizar o risco de complicações, é fundamental escolher um cirurgião experiente e seguir todas as instruções pré e pós-operatórias.
  • Durante a cirurgia, medidas são tomadas para evitar infecções, como o uso de antibióticos e técnicas assépticas rigorosas.
  • A inflamação após a cirurgia de catarata pode ser minimizada com o uso de medicamentos anti-inflamatórios prescritos pelo médico.
  • O risco de complicações aumenta em casos de doenças oculares pré-existentes, como glaucoma ou degeneração macular.
  • É importante relatar ao médico qualquer alteração significativa na visão ou sintomas incomuns após a cirurgia.
  • A maioria das complicações da cirurgia de catarata pode ser tratada com sucesso, mas, em casos raros, podem ocorrer problemas permanentes de visão.
  • O oftalmologista discutirá os riscos e benefícios da cirurgia com o paciente, levando em consideração seu histórico médico e condição ocular.

Perguntas frequentes sobre a cirurgia de catarata

Agora que verificamos os pontos envolvidos antes, durante e após o procedimento cirúrgico, vamos esclarecer as dúvidas mais comuns dos pacientes sobre o tema.

De acordo com especialistas, a cirurgia de catarata é um procedimento comum e seguro, realizado para tratar a opacidade do cristalino que causa visão embaçada e problemas de visão. A cirurgia é realizada sob anestesia local, o que significa que você estará acordado durante o procedimento, mas não sentirá dor.

Trata-se de um procedimento ambulatorial, o que significa que o paciente não precisa ser internado e poderá voltar para casa no mesmo dia. Na cirurgia, um pequeno corte é feito na córnea e o cristalino opaco é removido por meio de técnicas de ultrassom ou laser.

Após a remoção do cristalino opaco, uma lente intraocular é implantada para restaurar a visão clara. Em geral, a recuperação pós-cirúrgica é rápida. A maioria dos pacientes apresenta melhora significativa na visão nos primeiros dias ou semanas após a cirurgia.

É normal ter visão embaçada, sensibilidade à luz e uma sensação de pressão ou desconforto no olho operado nos primeiros dias pós-cirurgia. É indicado usar óculos de sol e colírios prescritos após o procedimento para proteger o olho e facilitar a cicatrização.

A maioria das atividades diárias, como dirigir e ler, pode ser retomada poucos dias após a cirurgia. É importante seguir todas as instruções pós-operatórias, ir às consultas de acompanhamento e relatar quaisquer sintomas incomuns durante a recuperação.

Fontes:

All About Vision. Cataract. Disponível em:
https://www.allaboutvision.com/conditions/cataracts.htm. Acesso em: 12.jun.2023.
AAO (American Academy of Ophthalmology). Cataract Surgery: Risks, Recovery, Costs. Disponível em:
https://www.aao.org/eye-health/diseases/what-is-cataract-surgery. Acesso em: 12.jun.2023.
ASCRS (American Society of Cataract and Refractive Surgery). Frequently Asked Questions About Cataract Surgery. Disponível em: https://ascrs.org/clinical-education/search#sort=relevancy&f:topic=[Cataract]. Acesso em: 12.jun.2023.
BrightFocus Foundation. Cataracts: Diagnosis and Treatment. Disponível em: https://www.brightfocus.org/glaucoma/article/glaucoma-and-cataracts. Acesso em: 12.jun.2023.
Cleveland Clinic. Cataract Surgery. Disponível em:
https://my.clevelandclinic.org/health/treatments/21472-cataract-surgery. Acesso em: 12.jun.2023.
Estado de Minas. Catarata atinge 25% dos brasileiros com mais de 50 anos, aponta pesquisa. Disponível em:
https://www.em.com.br/app/noticia/saude-e-bem-viver/2022/06/30/interna_bem_viver,1377020/catarata-atinge-25-dos-brasileiros-com-mais-de-50-anos-aponta-pesquisa.shtml. Acesso em: 12.jun.2023.
Mayo Clinic. Cataracts. Disponível em:
https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/cataracts/symptoms-causes/syc-20353790. Acesso em: 12.jun.2023.
Fonte: Conteúdo Urbano
Compartilhar
Publicidade
Publicidade