0

Oceania

Ilhas Cook, um pedaço paradisíaco do paraíso no Pacífico Sul

Foto cedida por cookislands.travel / EFE

As Ilhas Cook são um arquipélago em que natureza, praias e pessoas criam um conjunto impossível de deixar o turista indiferente

6 mai 2016
13h37
  • separator
  • comentários

Em 2015 o arquipélago das Ilhas Cook completou meio século desde sua independência da Nova Zelâdia, embora seu sistema de governo democrático-parlamentar funcione como um Estado livre associado ao país.
       
Principalmente vinculadas à cultura maori, seus costumes ancestrais são semelhantes aos da cultura do Taiti e aos dos nativos da Nova Zelândia.

Praia nas Ilhas Cook
Praia nas Ilhas Cook
Foto: Foto cedida por cookislands.travel / Foto cedida por cookislands.travel

As 15 ilhas que compõem o arquipélago ficam na parte Sul do Oceano Pacífico, entre as ilhas do Havaí e a Nova Zelândia.

Os maoris das Ilhas Cook têm danças parecidas com as danças taitianas e seus trajes femininos são muito semelhantes aos de Taiti, saias feita de folhas e duas metades de coco esvaziadas para cobrir os seios. Mas cada ilha do arquipélago tem danças peculiares.
       
Das ilhas, oito delas, as do norte, são atóis áridos e praticamente planas, e as sete ilhas do sul vulcânicas, por isso têm algumas elevações e são muito férteis, e onde se concentra a maior parte da população.

A maior população está na ilha de Rarotonga, onde fica o aeroporto internacional, e a capital, Avarua. Em todo o arquipélago vivem 13 mil pessoas, 74% delas na capital, onde a densidade é de 55 habitantes por quilômetro quadrado. Calcula-se ainda que mais de 50 mil naturais das ilhas vivem na Nova Zelândia.

Pesca nas Ilhas Cook
Pesca nas Ilhas Cook
Foto: Foto cedida por cookislands.travel / Foto cedida por cookislands.travel

Clima tropical com praias paradisíacas

Embora as Ilhas Cook devam seu nome ao explorador britânico James Cook - que as avistou em 1770 - elas foram descobertas em 1595 pelo navegador espanhol Álvaro de Mendaña e Neyra. O Capitão Cook as reivindicou para a coroa britânica, mas as ilhas só se transformaram em um protetorado britânico em 1888.

Atualmente o poder executivo das Ilhas Cook é a rainha britânica, Elizabeth II, Chefe de Estado. Ela exerce seu poder através de um representante, com um parlamento unicameral composto por 24 membros que se renova a cada quatro anos.

A maravilhosa transparência das águas nas ilhas Cook
A maravilhosa transparência das águas nas ilhas Cook
Foto: Foto cedida por cookislands.travel / Foto cedida por cookislands.travel

Um órgão político diferente nas Cook é a denominada Câmara dos Chefes (House of Ariki) estabelecida em 1966. Ela é formada por seis Ariki de Rarotonga e nove das outras ilhas. Os chefes assessoram o governo sobre o uso de terras e temas cotidianos da população.
       
As Cook oferecem ao turista um perfeito clima tropical com duas estações principais bem definidas, a de chuva, que vão de dezembro a março, e a seca, de abril a novembro, com uma temperatura que oscila entre os 22° e os 28 graus.
       
As Cook são um destino que inspiram para férias tranquilas em um entorno tropical, um convite para aproveitar as praias e explorar os povoados locais de bicicleta.

Seus moradores têm especial cuidado para não desnaturalizar o entorno do arquipélago, procurando ser coerentes com o ambiente. Não existe nas ilhas nenhum hotel que seja ambientalmente irresponsável.

Natureza nas Ilhas Cook
Natureza nas Ilhas Cook
Foto: Foto cedida por cookislands.travel / Foto cedida por cookislands.travel

Por exemplo, eles não podem ultrapassar os dois andares, para que as palmeiras sejam a primeira coisa que se vê desde o oceano.

A praia de One Foot Island, localizada na ilha de Aitutaki, é uma das maravilhas naturais do arquipélago, com uma praia de areia branca maravilhosa e considerada pela Organização Mundial do Turismo como uma das melhores praias do Pacífico.
       
Em seu território, além de uma importante diversidade de espécies vegetais, podem ser encontradas grande variedade de espécies marinhas, como os peixes papagaio, os pepinos de mar, e também um território de trânsito para as baleias jubarte.
       
Como lembranças, os turistas se costumam levar colchas, com estampa da flora e da fauna das Cook, chapéus tecidos à mão com fibra de palmeira ou coco e algumas joias em madeira ou pérolas.

O mar ao fundo nas ilhas Cook
O mar ao fundo nas ilhas Cook
Foto: Foto cedida por cookislands.travel / Foto cedida por cookislands.travel

 

EFE   

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade