PUBLICIDADE

Monte Roraima guarda encantos que inspiraram literatura

Compartilhar

Em Um mundo perdido, Arthur Conan Doyle (inventor do personagem Sherlock Holmes) criou um cientista que descobriu dinossauros bem no meio da Amazônia. A ambientação da história foi baseada no monte Roraima, no Estado homônimo, que até hoje desperta em seus visitantes o mesmo fascínio do escritor.

» Veja fotos do Monte Roraima

O monte Roraima é um dos mais altos, com 2.875 metros de altitude
O monte Roraima é um dos mais altos, com 2.875 metros de altitude
Foto: Kevin Cure/Ceative Commons / Reprodução

» Chat: tecle sobre o assunto

O monte - o maior tepui (montanhas semelhantes a grandes mesas) da região, com 2.875 metros de altitude - fica localizado no Parque Nacional do Monte Roraima, divisa do Brasil com a Venezuela e a Guiana. Seu topo plano possui cerca de 84 quilômetros quadrados.

Para conhecer o monte é necessário muita disposição física: é preciso fazer uma trilha, de duração média de três dias, a depender dos passos do aventureiro. Não há infraestrutura, ou seja, os banhos são de água do rio e dorme-se ao relento, em redes ou barracas de camping.

A caminhada, entretanto, vale a pena - ela é feita em meio a rios, lagoas naturais e cachoeiras pouco explorados. No caminho ainda é possível conhecer o labirinto norte, uma sequência de rochas similar a ruínas de uma cidade abandonada, e o Lago Gladys, com tamanho aproximado ao de um campo de futebol.

Viajar ao monte Roraima exige uma passagem por Boa Vista, distante 320 quilômetros. A cidade é a única capital do país localizada totalmente no hemisfério norte.

A cidade tem o formato de um leque e todas as ruas convergem para a praça do Centro Cívico, onde ficam os poderes Legislativo, Executivo e Judiciário. A melhor época para ir à Boa Vista é entre outubro e março, no período de estiagem. Com a diminuição do nível das águas do rio Branco, formam-se belas praias de água doce, algumas com até 15 quilômetros, como a Praia Grande.

Na cidade, há ainda belezas arquitetônicas que merecem ser contempladas, como o Parque Anauá e as edificações do centro histórico, a maior parte construída no início do século 20.

Fonte: Especial para Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra