PUBLICIDADE

Uso frequente de analgésicos provoca riscos à saúde; entenda

Dra. Fernanda Monteiro explica em quais casos o uso do remédio não traz complicações

22 jul 2021 13h01
| atualizado em 27/7/2021 às 09h04
ver comentários
Publicidade
Uso frequente de analgésicos provoca riscos à saúde; entenda
Uso frequente de analgésicos provoca riscos à saúde; entenda
Foto: Shutterstock / Saúde em Dia

Há pessoas que criam o hábito de tomar remédio sem prescrição médica, muitas vezes até sem saber a origem daquela dor, mas você sabia que o uso contínuo de analgésicos  pode causar prejuízos à saúde?

Pois bem, a Dra. Fernanda Monteiro, especializada em medicina de família e comunidade, diz que quando o remédio é utilizado esporadicamente, não há tantas complicações, desde que o indivíduo não tenha alergia às substâncias daquele medicamento.  

Em contrapartida o uso frequente deve ser avaliado. "Por exemplo, uma dor diária nas costas, que impede as atividades corriqueiras e dificulta o sono, pode ser um sinal de que algo não está bem. Ao aliviar a dor, o diagnóstico acontece tardiamente e doses maiores de medicamentos são necessárias à medida que deixam de fazer o efeito desejado".

Além disso, se io indivíduo ingerir altas doses de medicamentos analgésicos simples sem recomendação médica, como dipirona e paracetamol, cria-se uma predisposição a hepatite medicamentosa, lesões estomacais e sangramentos.

 Função dos analgésicos

Os analgésicos simples, como dipirona e paracetamol são medicamentos que ajudam a controlar a febre. Mas, também existem analgésicos mais potentes, os chamados opioides, que não são vendidos em farmácias sem prescrição médica. Eles têm um efeito mais potente ao aliviar dores, mas contém efeitos adversos.

"Quando houver um quadro de febre (com temperatura maior ou igual a 37,8) e dor moderada, nesses casos são permitidos o uso de dipirona ou paracetamol sem recomendação, desde que o indivíduo não tenha alergia a essas substâncias. Caso a febre não diminua e a dor não desapareça, é recomendado uma avaliação médica para que as causas sejam identificadas e tratadas".

Já as dores que aparecem de forma aguda, após um trauma ou de forma espontânea, que não prejudiquem as atividades do dia a dia, ou seja, e não interferem na execução dos movimentos do corpo e raciocínio, são essas que geralmente respondem bem aos analgésicos simples e em doses baixas, pois a função do analgésico é resolver as dores, independentemente da causa e intensidade dessa dor.

Vale ressaltar que doses altas de analgésicos simples ou opioides devem sempre ser prescritas por um profissional capacitado e quando sentir dores crônicas o ideal é procurar ajuda para viver sem o incômodo.  

Consultoria: Dra. Fernanda Monteiro, médica especializada em medicina de família e comunidade, da Vibe Saúde. 

Saúde em Dia
Publicidade
Publicidade