2 eventos ao vivo

Saiba como se proteger da candidíase na reta final do verão

11 mar 2014
07h13
atualizado às 09h47
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Registrado pelos índices recordes de calor, o verão deste ano, mesmo estando próximo do fim, ainda pode facilitar o desenvolvimento de doenças como a candidíase, que atinge principalmente as mulheres.

Provocado por um fungo chamado Candida albicans, o processo inflamatório encontra no hábito feminino de ficar com biquínis e maiôs molhados por muito tempo no corpo o caminho certo para se instalar com facilidade no organismo devido à junção da umidade da roupa com a alta temperatura da pele.  

Bastante incômodo, o problema costuma aparecer na forma de coceiras na área íntima, ardência, vermelhidão na parte exterior da vagina, corrimentos, inchaços e odores desagradáveis. Por isso, precisa ser evitado com alguns cuidados simples, mas eficazes. O primeiro deles é procurar vestir roupas secas logo depois de sair dos banhos de mar ou piscina e, até mesmo, após o treino na academia.

No dia a dia, também é importante evitar o compartilhamento de toalhas com outras pessoas e a depilação na área íntima antes de ir à praia ou ao clube para prevenir que as microlesões provocadas pelo método facilite a instalação de fungos e bactérias na região. Na temporada de calor, outra dica é optar por calcinhas feitas totalmente de algodão, que permitem a ventilação e evitam a proliferação dos micro-organismos.

“Como a doença também atinge os homens e pode ser transmitida, inclusive, pela relação sexual, o uso de preservativo não deve ser deixado de lado”, ressalta Flávio Roberto Tanesi, ginecologista do Hospital Santa Catarina, de São Paulo.

Além do calor e da alta umidade, a candidíase pode ser desencadeada por outros fatores ao longo do ano. “A baixa imunidade e o uso de antibióticos e corticóides por tempo prolongado, assim como a utilização de medicamentos imunossupressores e de protetores íntimos diariamente têm relação direta com o seu surgimento”, informa Edilson Ogeda, ginecologista do Hospital Samaritano.

Tratamento
Quem não tomou os cuidados necessários e contraiu a candidíase neste verão precisa buscar um médico imediatamente para ter a certeza do diagnóstico e iniciar o tratamento, que envolve medicação oral e tópica, além do afastamento de uma semana das praias e piscinas e da pausa nas relações sexuais. 

Veja também:

Fonte: Agência Hélice
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade