PUBLICIDADE

Paixão x Manipulação: como identificar um relacionamento tóxico?

Na coluna dessa semana, a psiquiatra Dra. Jéssica Martani identifica os sinais de um relacionamento tóxico e cita a importância do apoio psicológico para contorná-lo

23 nov 2023 - 14h55
Compartilhar
Exibir comentários

Em um mundo onde a busca por relacionamentos saudáveis e felizes é constante, torna-se imperativo estarmos atentos aos sinais que podem indicar uma dinâmica prejudicial. O tema que abordo hoje é de extrema importância: a diferença entre paixão e manipulação em relacionamentos.

Paixão x Manipulação: como identificar um relacionamento tóxico?
Paixão x Manipulação: como identificar um relacionamento tóxico?
Foto: Freepik / Bons Fluidos

A verdade é que todos nós, independentemente da idade, sexo ou condição financeira, estamos suscetíveis a entrar em relacionamentos tóxicos. Eles muitas vezes se disfarçam de proteção e amor incondicional, quando, na realidade, são formas de controle, utilizadas como moeda de troca.

Identificando um relacionamento tóxico

O cerne de um relacionamento abusivo reside no uso do poder para manipular e controlar o parceiro. Reconhecer esses padrões é crucial para preservar a saúde emocional e física.

Os estágios do relacionamento abusivo

Love bombing

Inicialmente, o parceiro impressiona com declarações e atenção excessiva, criando uma ilusão de amor incondicional. Presentes, declarações apaixonadas e superproteção são ferramentas dessa fase. Tudo parece um grande conto de fadas e a situação impressiona a vítima.

Mudança sutil de comportamento

O abusador inicia com pequenas violências e domínio excessivo. O carinho e a atenção tornam-se armas de manipulação, aos poucos começa a impedir que a vítima faça as ações que está acostumada. Críticas excessivas sobre maneira de agir, roupas e até com quem anda deixam a vítima cada vez mais insegura, ocasionando prejuízos na autoestima.

Violências agravam-se

As violências vão piorando a ponto da pessoa começar a sentir medo. O relacionamento não é harmônico e a vítima sempre tem medo de desagradar, ficando em constante ansiedade, pois nunca sabe quando será o próximo ataque de fúria do abusador. A sensação é de estar sempre pisando em ovos. Com o desejo de que o relacionamento volte a ser como era antes, a vítima se indaga sobre o que fez para tudo mudar. O abusador consegue fazer a vítima se sentir culpada.

Ao decidir romper, o abusador promete mudanças, diz que tudo é por amor, por vezes diz que não vive sem a pessoa, afirma que vai se matar ou que vai matar a vítima, o que cria uma rede na qual fica difícil sair. Às vezes, essa rede também inclui domínio financeiro e o uso dos filhos como moeda de troca.

Sinais de um relacionamento abusivo

  • Superproteção, que, na verdade, é controle excessivo;
  • Comportamento manipulador;
  • Críticas constantes;
  • Violência verbal ou física;
  • Isolamento social e intimidação;
  • Controle financeiro;
  • Flutuações extremas de humor;
  • Desrespeito pelos limites;
  • Negligência emocional;
  • Mudança de personalidade;
  • Ciúmes excessivos e desmerecimento.

Os desafios ao identificar um relacionamento tóxico

A vítima muitas vezes não percebe os sinais, pois o abusador utiliza artimanhas como superproteção e manipulação emocional. A teia invisível se forma lentamente, prendendo emocionalmente antes de revelar sua verdadeira natureza. Não somos acostumados a ver violência no "belo", não somos acostumados a ver violência no "conto de fadas", e ao perceber que estamos nessa situação, é muito comum a negação e a tentativa de "salvar" a relação.

Os limites do relacionamento saudável

O relacionamento abusivo ocorre quando somente um lado cede constantemente, quando a pessoa se torna outra para agradar e há desrespeito aos limites e autonomia. A violência pode começar de maneira sutil, por isso, é importante estar atento aos detalhes e observar se é esse o tipo de relacionamento que você deseja.

Barreiras para sair do relacionamento

A dependência emocional, financeira e a manipulação psicológica são obstáculos comuns. Idealizações de relacionamentos duradouros e famílias perfeitas dificultam a saída. O medo de exposição, julgamentos e estigmas sociais também contribuem para a permanência.

A importância do apoio psicológico

Sair de um relacionamento abusivo é desafiador. A manipulação emocional e as promessas do abusador criam um ciclo difícil de quebrar. O apoio psicológico é crucial, já que não é incomum observarmos adoecimento, como ansiedade, depressão e transtorno de estresse pós-traumático. O suporte de amigos e familiares também é essencial para superar essas barreiras e iniciar o processo de cura.

Em última análise, ao entender os sinais e buscar ajuda, é possível construir relacionamentos mais saudáveis e autênticos. E existe, sim, uma vida após o relacionamento abusivo.

Bons Fluidos
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade