3 eventos ao vivo

Autoestima baixa? Psicóloga dá dicas para melhorá-la

O autoconhecimento faz a pessoa entender seus anseios e suas motivações próprias

6 nov 2015
13h14
  • separator
  • comentários

Muita gente sabe como melhorar a autoestima é importante. Quando ela está baixa, junto vem aquele comportamento de insegurança e medo. Com isso, a pessoa pode se sentir incapaz e desacreditar em si mesma.

Esses sentimentos afetam a vida social e a profissional, e também trazem consequências para as relações afetivas. Porém, atitudes simples do dia a dia proporcionam bem-estar e já ajudam a aumentar a motivação.

É importante também buscar o autoconhecimento e entender as próprias emoções para, então, saber como melhorar a autoestima e resolver algo que esteja causando desconforto. Veja como isso é possível.

Autoconhecimento é a chave para identificar pontos fortes e fracos
Autoconhecimento é a chave para identificar pontos fortes e fracos
Foto: iStock, Getty Images

A autoestima baixa afeta a vida de várias formas, pois causa dificuldades para enfrentar qualquer tipo de problema. A pessoa cria uma tendência a evitar situações que precisam ser resolvidas, pois se sente incapaz de buscar saídas até para os problemas simples do dia a dia. Com isso, torna-se retraída e deprimida, tendo sua vida prejudicada.

O sentimento constante de incapacidade atrapalha o processo contínuo de aprendizagem que temos na vida. Ele depende, justamente, de nossa capacidade de experimentação.

Para a Psicóloga Rosângela Martins, a autoestima é fundamental para uma relação positiva com a vida. “Aquele que está de bem consigo estabelece uma relação satisfatória com o meio e, consequentemente, tende a obter maior benefício em diferentes âmbitos, seja profissional, afetivo ou interpessoal”, destaca.

Ela ainda explica que, quando uma pessoa está de bem com a vida, o mundo a recebe melhor. E isso só é possível para quem está de bem consigo mesmo. “Uma pessoa com uma boa autoestima é uma pessoa que reconhece suficientemente suas potencialidades e faz bom uso delas. Também reconhece as suas limitações e tenta melhorá-las, ou aprende a respeitar os seus limites”, completa Rosângela.

Esse sentimento se torna, então, uma ferramenta fundamental para viver bem, com motivação, bem-estar, perseverança e até mesmo com saúde e beleza, pois faz a pessoa se cuidar e manter-se saudável. Agora, se você anda desanimado e desmotivado, saiba que é sempre possível melhorar a autoestima.

Saiba como melhorar a autoestima
Segundo Rosângela, a boa autoestima é construída por diversos fatores. Começa com a herança genética, que traz características próprias que favorecem ou não as relações. Depois, passa pelo meio em que a pessoa vive, pelas relações afetivas e também pela criação e a educação dos pais, que devem equilibrar gratificações e frustrações durante a infância.

Quando algum desses fatores não é desenvolvido de forma adequada, é mais difícil manter a motivação, pois a pessoa pode não ter desenvolvimento ferramentas que a ajudem a enfrentar os desafios e a lidar com os fracassos. “Para melhorar a autoestima, é importante que a pessoa procure desenvolver uma maior intimidade consigo mesma, com suas emoções”, indica a Psicóloga. É preciso fazer uma busca interior, procurando a autocompreensão e as respostas para os anseios próprios, sejam positivos ou negativos.

Conhecendo-se melhor e entendendo a si mesmo, é possível identificar atitudes e hábitos que devam ser corrigidos ou enaltecidos. Desenvolver a autoconfiança e ter para consigo atitudes de compreensão, respeito, encorajamento, paciência e acolhida é o primeiro passo.

Vivo Mais Saudável Vivo Mais Saudável, informação que faz bem.

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade