3 eventos ao vivo

BBB21: "vestido da discórdia" faz parte há tempos do estilo do Fiuk

22 mar 2021
11h57
atualizado às 12h24
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O assunto do momento nas redes sociais é o vestido usado por Fiuk na festa do BBB 21, que aconteceu no fim de semana. O look motivou até um comentário considerado machista de Rodolffo pelo líder, Gilberto, e pelo próprio Fiuk. Por conta disso, o economista mandou o sertanejo para o paredão.

Fiuk
Fiuk
Foto: Reprodução/nstagram / Elas no Tapete Vermelho

"Alá, mandaram um vestido pro Fiuk", comentou Rodolffo. "Não zoa não que eu gosto de vestido", retrucou Fiuk. "Tá lindo, tá lindo real", defendeu Gilberto. "É meu estilo real, não brinca com isso não", acrescentou Fiuk saindo do quarto. Em seguida, o dono do sucesso "Batom de Cereja" continuou: "Como que leva um menino desses para as boates lá em Goiânia?". "Dá pra levar… Goiânia os homens tudo bruto", respondeu Sarah. "É a chance de fazer eles mudarem", opinou o líder.

O perfil oficial do Fiuk até subiu uma vídeo com montagem do Fiuk falando de suas roupas e imagens do momento da conversa entre os sisters. "Eu sei que para muitas pessoas é meio difícil de aceitar, de me ver como eu sou, mas é o que temos para hoje", diz Fiuk na montagem publicada pela sua equipe.

Fiuk
Fiuk
Foto: Reprodução – ©️ 2021 TM Endemol Shine Group B.V sob licença Globo / Elas no Tapete Vermelho

Na justificativa do voto, Gilberto disse que não concordava com aquelas piadas que estavam sendo feitos. "Me doeu de verdade", afirmou. Fiuk completou o look com calça skinny rasgada e bota. Ou seja, usou o vestido como túnica. O cinto faz parte da pochete que os brothers precisam usar com equipamento de áudio, mas completou perfeitamente a produção.

O vestido prateado foi encaminhado pela produção para o filho de Fábio Jr, que já usou outro modelo preto na casa, incluindo nas fotos tiradas quando foi líder. A peça, aliás, compõe o look do cantor há um bom tempo, mesmo antes de entrar para a casa mais vigiada do Brasil.

Salve a diversidade

"Salve a diversidade humana…diferença não é defeito", publicou o cantor na legenda dessa foto de 30 de dezembro, com o vestido preto que usa no programa.

Senta que lá vem história

Há várias décadas, a moda tem experimentado um retorno de saias e vestidos masculinos nos desfiles internacionais e nacionais. Em 2011, a androginia foi um dos pontos altos nas passarelas do SPFW, ainda que o estilista João Pimenta já vinha mostrando essa tendência muito antes. Nomes como Alexandre Herchcovicth e Osklen também colocaram vestidos e saias para homens em algumas de suas coleções.

Mas foi em 1984 que as as passarelas do mundo começaram a ver saia masculina nos desfiles, com a apresentação de Jean-Paul Gaultier. Nada que os escoceses já não usam há séculos, com seus famosos kilts, também encampados pelo movimento punk dos anos 1980. Esse mesmo movimento inspirou Gaultier, que o colocou no centro do furacão fashion. Estilista ainda aposta na peça para suas campanhas atuais.


Túnicas, aliás, já faziam parte da indumentária masculina (e feminina) no Império Romano, pois calças eram sinônimo do mundo bárbaro, ou seja, rude, atrasado. Com a queda romana, as divisões da indumentária começaram a acontecer, mas nada de uma hora para outra. Afinal, as túnicas, ao lado de calças, fizeram parte do figurino de guerreiros, templários e religiosos. Aliás, na Igreja Católica, a batina ainda marca presença nas cerimônias oficiais e da roupa usada por padres, bispos, arcebispos, cardeais e até pelo papa Francisco.

Veja também:

BBB: "Doeu em mim, como na Camilla e no João", diz top negra
Elas no Tapete Vermelho
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade