0

Problema de fertilidade pode ser passado de pai para filho

28 ago 2012
09h18
  • separator

Apesar de na maioria das vezes não ter relação com hereditariedade, em alguns casos um problema de fertilidade masculino pode ser passado de pai para filho. De acordo com Daniel Zylbensztejn, especialista do setor de Reprodução Humana da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), algumas alterações genéticas podem ser transmitidas aos sucessores.

Apesar de na maioria das vezes não ter relação com hereditariedade, em alguns casos um problema de fertilidade masculino pode ser passado de pai para filho
Apesar de na maioria das vezes não ter relação com hereditariedade, em alguns casos um problema de fertilidade masculino pode ser passado de pai para filho
Foto: Dreamstime / Terra



Uma das heranças genéticas que causam problemas de fertilidade é a Síndrome de Klinefelter. Os homens que possuem a doença têm baixa concentração de espermatozoides no sêmen ou podem ser portadores de azoospermia, quando não é há presença de gametas no material. Em alguns casos, a síndrome pode ser passada do pai para o filho.



Microdeleção do cromossomo Y
Diferentemente da Síndrome de Klinefelter, a microdeleção do cromossomo Y sempre será passada de pai para o filho do sexo masculino. Segundo Daniel, o pai que é portador da doença também tem baixa concentração de espermatozoides no sêmen, ou é azoospérmico. Caso esse homem consiga engravidar a parceira, seja por meio natural, ou por reprodução assistida, e o bebê venha a ser um menino, a criança obrigatoriamente terá o mesmo problema. "O detalhe é que o filho terá uma deleção mais grave do que a do pai", afirma o médico.

Como a doença não traz nenhum risco de morte, o Conselho Federal de Medicina (CFM) não permite que seja feita a seleção de sexo quando o pai é portador da microdeleção do cromossomo Y.

Segundo Daniel, quando o bebê é do sexo feminino não há danos à fertilidade da filha. Mas ele acrescenta que alguns autores afirmam que a menina que é gerada de um pai que tem a microdeleção tem maiores possibilidades de nascer com a Síndrome de Turner. Entre alguns sintomas da síndrome está a infertilidade, pois os ovários da mulher não se desenvolvem por completo.

Fator feminino e hereditariedade
Não há nenhum problema de fertilidade feminino que seja obrigatoriamente passado de mãe para filha. De acordo com Daniel, em alguns casos, quando a mãe teve menopausa precoce, por exemplo, a filha também pode apresentar o mesmo problema, mas não é regra.

"Na mulher, a medicina ainda não consegue ser tão objetiva quando aos fatores de infertilidade e hereditariedade. Não é porque a mãe teve endometriose ou menopausa precoce, por exemplo, que a filha obrigatoriamente terá. É muito relativo, ao contrário do caso da microdeleção no homem", exemplifica.

Busca um especialista em Fertilidade? Clique aqui e confira a lista dos profissionais





Veja também:

Beirute: A mãe em trabalho de parto durante a explosão
Fonte: Cross Content
publicidade