PUBLICIDADE

Carnaval 2021: entenda por que data do feriado muda a cada ano

Terça-feira de carnaval é definida com base na Páscoa; confira se a data é feriado, ponto facultativo ou dia normal na sua cidade

5 fev 2021 10h11
ver comentários
Publicidade

O carnaval em 2021 pode até não ser comemorado ou considerado feriado em muitos lugares no Brasil, mas a data continua existindo e tendo sua definição ligada à religião católica.

Se você já se perguntou por que o carnaval muda de data a cada ano, saiba que a resposta tem ligação com outra data, a Páscoa, que é definida como o primeiro domingo de lua cheia após o equinócio de primavera, no hemisfério norte, e outono, no hemisfério sul.

Para saber quando é a Páscoa em 2021, por exemplo, verificamos a data do equinócio, que é o momento em que nenhum dos hemisférios está inclinado em relação ao Sol, com seus raios incidindo igualmente entre o sul e o norte, e oorrerá no dia 20 de março.

O próximo dia, 21, será um domingo de Lua Crescente, e o consequente, 28, de Lua Cheia. Portanto, o domingo seguinte, dia 4 de abril de 2021, será a Páscoa.

Em geral, a data pode variar entre os dias 22 de março e 25 de abril, o que também intefere em outros feriados ligados à religião cristã.

O carnaval é celebrado 47 dias antes da Páscoa, e a Sexta-Feira da Paixão apenas dois. Já Corpus Christi é realizado 60 dias depois da Páscoa.

Quando será a data do carnaval 2021?

Em 2021, o carnaval será celebrado na terça-feira, 16 de fevereiro. Por conta da pandemia do novo coronavírus, cidades como Rio de Janeiro e São Paulo não terão os tradicionais desfiles de escolas de samba que ocorreriam entre a sexta-feira, 12, e o domingo, 14.

A data do carnaval é feriado em 2021?

O carnaval não é um feriado nacional, mas a administração pública federal definiu no calendário de 2021 os dias 15 e 16 de fevereiro como ponto facultativo, assim como o dia 17, Quarta-feira de Cinzas, até as 14 horas.

Diversos governos estaduais e municipais também haviam decidido pelo ponto facultativo, mas voltaram atrás por conta dos desdobramentos da pandemia e do número de casos de covid-19.

Estadão
Publicidade
Publicidade