0

Dez dicas ensinam como evitar manchas no buço; confira

23 mai 2014
13h00
  • separator
  • comentários

Provocadas pela nociva ação dos raios solares ou até mesmo por alterações hormonais, as indesejáveis manchas que cismam em aparecer no buço podem comprometer muito o visual. Para evitar o seu surgimento e, de quebra, recuperar a tonalidade e beleza da região, confira, abaixo, dez dicas simples de incorporar nos cuidados diários com a pele do rosto.  

Manchas que cismam em aparecer no buço podem ser provocadas pela nociva ação dos raios solares ou até mesmo por alterações hormonais
Manchas que cismam em aparecer no buço podem ser provocadas pela nociva ação dos raios solares ou até mesmo por alterações hormonais
Foto: Shutterstock

Proteção Solar 
Para quem tem ou deseja prevenir as manchas no buço, a proteção solar é imprescindível. O ideal é escolher as opções com fator acima de 30 e sempre reaplicar o produto a cada hora, durante a exposição aos raios solares, ou após mergulhos na água e a prática de atividades físicas ao sol. 

Vale lembrar que gestantes ou mulheres usuárias de hormônios femininos devem redobrar o cuidado com a proteção, devido a uma maior predisposição ao melasma.  

Escolha do produto 
Outra dica importante é dar preferência para os protetores solares com base, que atuam protegendo a pele contra os raios UVA, UVB e a luz visível. Atualmente, já existem várias opções com tons ideais para cada tipo de pele.  

Proteção física 
Abusar da proteção física também é uma boa alternativa para quem deseja blindar a pele sensível do rosto da ação dos raios solares. A principal recomendação neste sentido é apostar em guarda-sóis e chapéus que, inclusive, podem ser encontrados com tecido especial de proteção UV. Além disso, vale a pena evitar os períodos de maior intensidade de sol, entre as 10h e 16h. 

Fotoprotetores orais
Novidade no mercado, os chamados nutracêuticos (Polypodium leucotomos, luteína, betacaroteno, pycnogenol, resveratrol, entre outros) são cápsulas tomadas por via oral, que têm o poder de proteger a pele contra os efeitos nocivos da radiação solar.

“Por meio de um efeito antioxidante e anti-inflamatório, os fotoprotetores orais diminuem a produção da melanina, que é a responsável pelas manchas”, explica Dra. Lais Rios, dermatologista da Duohaus, rede de estética e beleza, de Brasília. 

Clareadores tópicos
O uso constante de clareadores tópicos, noturnos e diurnos também é essencial na prevenção das manchas. Isso porque, eles são responsáveis por aliviar a pigmentação escurecida do buço. Contudo, devem ser prescritos por um dermatologista e trocados periodicamente para atingirem o efeito máximo.

Depilação
O recomendado é evitar o hábito de depilar a região com cremes depilatórios, cera quente, fria ou pinça, já que estes métodos deixam a pele ainda mais sensível e a inflamação local pode levar à hiperpigmentação. Mas, se a depilação for realmente necessária, o ideal é que ela seja feita, pelo menos, cinco dias antes da exposição solar.

Manipulação e consumo de frutas cítricas
É de extrema importância não recorrer à manipulação nem ao consumo de frutas cítricas na praia ou piscina, pois o contato desses ingredientes com a pele embaixo do sol causa o surgimento de fitofotodermatose - manchas escuras decorrentes deste processo.

Maquiagem
Passar pó compacto facial com FPS por cima do protetor solar é uma alternativa para reforçar ainda mais a proteção facial. A outra vantagem do cosmético é que o pó ainda ajuda a disfarçar as manchas da região. 

Alimentos com betacaroteno 
Remanejar o cardápio com alimentos ricos em betacaroteno (antioxidante que dá cor aos alimentos e se transforma em vitamina A) é uma ótima medida para prevenir os melasmas no buço. O betacaroteno pode ser facilmente encontrado em frutas e legumes de coloração amarela/laranja e nas folhas verde-escuras, funcionando como um excelente antioxidante que combate os radicais livres e os efeitos da radiação solar. 

Ainda segundo a especialista, também vale investir no consumo de vitamina C e E, além de inserir o chá verde na dieta - uma opção altamente indicada pelas suas propriedades antioxidantes.

Paciência
Neste caso, ter paciência é uma virtude necessária para alcançar resultados duradouros e satisfatórios. “O melasma é uma doença que não tem cura, somente uma significativa melhora. Os resultados começam a aparecer após quatro ou seis semanas de tratamento e os cuidados têm que ser mantidos diariamente, mesmo depois que o quadro estiver controlado”, finaliza Lais. 

Fonte: Agência Hélice

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade