0

Aplicadas na pele, enzimas queimam gordura na primeira sessão

26 abr 2013
07h18
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Sucesso entre famosas como a atriz Claudia Raia, a intradermoterapia, procedimento feito por meio da aplicação de substâncias capazes de queimar as implacáveis gordurinhas localizadas, virou febre nas clínicas estéticas de todo o País nos últimos anos por sua eficácia e efeitos notados logo na primeira sessão.

De origem francesa, a técnica consiste na introdução das enzimas no tecido subcutâneo, por meio de uma agulha apropriada de quatro ou seis milímetros de comprimento. “A técnica só deve ser feita por um médico especialista, treinado e habituado com ela”, alerta Carolina Marçom, dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). 

O tratamento conta com enzimas (proteínas que têm a propriedade de acelerar reações químicas) de ação lipolítica, que destroem as células adiposas, melhorando a circulação sanguínea e também a celulite da área escolhida para a aplicação. As mais utilizadas são a Thermoyalo (mistura de cafeína, silício e tiratricol), Lipoderme (que concentra lipossomas) e Lipoayslim (feita à base de extrato de manga africana), devido às suas funções que não só eliminam a gordura, mas também a catalisam e controlam sua presença no sangue.  

Ao ser aplicada, a combinação das substâncias é a responsável pela quebra das cadeias de gordura, transformando-as em micropartículas para que sejam facilmente absorvidas pelo organismo ou naturalmente  excretadas por meio da urina, sudorese e fezes. Praticamente indolor e minimamente invasivo, o tratamento pode ser feito em várias partes do corpo, como abdômen, glúteo, coxa, costas e braços. 

Em média, são indicadas dez sessões da técnica, dependendo do caso do paciente.   Cada sessão custa, em média, R$ 90 em clínicas estéticas. O intervalo entre as sessões varia de acordo com a resposta individual apresentada pelo organismo do paciente.   

Riscos 
Apesar dos bons resultados do método que combate os pneuzinhos, vale a pena lembrar que o procedimento não é sinônimo de milagre. Isso porque, se for aplicado de maneira inadequada e por profissionais não qualificados, pode causar efeitos nada agradáveis, como alterações no contorno corporal, alergias e infecções. 

“Quando ele é realizado corretamente e todos os cuidados necessários são tomados, os resultados aparecem e se tornam ainda mais duradouros com a associação de uma alimentação saudável e balanceada, assim como pela prática regular de atividades físicas”, aponta a dermatologista.

Veja também:

Venezuela: os trabalhadores da saúde com salários de US$ 4 por mês e sem equipamentos de proteção
Fonte: Agência Hélice Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade