PUBLICIDADE

Energia Eólica: o que é, como funciona, vantagens e desvantagens

Energia eólica desempenha um papel crucial na transição para um futuro sustentável e livre de emissões de carbono

14 ago 2023 - 05h00
Compartilhar
Exibir comentários
A região nordeste do Brasil é responsável por cerca de 90% da produção nacional de energia éolica
A região nordeste do Brasil é responsável por cerca de 90% da produção nacional de energia éolica
Foto: iStock

Sustentável, inesgotável e econômica. Por meio da força dos ventos, a energia eólica é uma das maiores aliadas no desenvolvimento econômico e sustentável do Brasil. Até os primeiros meses de 2023, o processo -- gerado por turbinas instaladas na terra ou no mar-- beneficiou mais de 108 milhões pessoas no Brasil, de acordo com dados da Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica). 

Estudos mostram ainda que a cada R$ 1 investido em energia eólica, R$ 2,9 retornam para o Produto Interno Bruto (PIB). Estima-se também que são gerados cerca de 11 postos de trabalhos a cada MW instalado. Confira abaixo como funciona a energia eólica. 

O que é Energia Eólica?

Por volta de 1.430, os moinhos de vento já eram utilizados na Europa para moer grãos e controlar o excesso de água em regiões litorâneas, mas foi só em 1.888 que o primeiro cata-vento gerador de energia foi construído.

Ele surgiu nos EUA e foi criado pelo inventor Charles Francis Bruch. O objetivo da criação de Bruch era fornecer energia para 350 lâmpadas incandescentes. O sistema, que gerava apenas 12kW, durou por cerca de 20 anos. 

Desde então, com os inúmeros avanços industriais e tecnológicos na sociedade moderna, a energia eólica se tornou uma das principais matrizes energéticas pelo mundo. Ela é definida como uma energia cinética renovável e de fonte inesgotável.

A energia eólica é gerada por meio da indução eletromagnética que acontece quando os ventos rotacionam as pás dos aerogeradores, que são os equipamentos principais responsáveis por essa matriz energética. Ela se divide em dois tipos: onshore e offshore.

A energia eólica offshore é gerada em parques localizados dentro do mar, onde o vento pode alcançar uma velocidade maior e constante, já que não existem barreiras físicas. Mais comum, a onshore é gerada em parques em terra, com aerogeradores com pás menores para garantir que a estrutura fique segura e protegida.

Como funciona a Energia Eólica?

Os aerogeradores, também chamados de turbinas eólicas, são os equipamentos projetados especificamente para a geração de energia eólica. Eles são caracterizados por três pás com perfis aerodinâmicos e, no geral, são de eixo horizontal e de grande porte, tendo o motor como seu principal componente.

A incidência da força dos ventos sobre as pás rotacionam o motor que aciona um gerador elétrico. Dessa forma, elas funcionam pelo princípio físico da sustentação aerodinâmica.

Através do multiplicador presente nas turbinas eólicas, o gerador recebe a energia mecânica para transformá-la em energia elétrica.

Os cabos de força presentes na estrutura transmitem a energia do topo da torre até o solo, onde está localizada a rede de média tensão. Posteriormente, essa energia é encaminhada para a subestação coletora e, depois, segue para as distribuidoras locais, que transmitirão energia elétrica equilibrada para as residências. 

Vantagens da Energia Eólica

A energia eólica possui inúmeros benefícios para o meio ambiente e para a sociedade como um todo. Entre esses benefícios está a redução da emissão de CO2 na atmosfera, o que já é uma grande vantagem em relação às usinas hidrelétricas.

Esse tipo de energia é limpa e renovável. A utilização de energia eólica também reduz a dependência do Brasil em relação às usinas hidrelétricas, o que é extremamente benéfico em períodos de escassez de água.

Em termos econômicos, essa energia sustentável gera renda e melhoria na vida de proprietários de terra que abrigam parques eólicos, e não impede a utilização do espaço para plantações ou criações de animais. Além disso, ela tem um dos melhores custos benefícios na tarifa de energia. 

Além de não emitir poluentes na atmosfera, é uma fonte de energia barata comparada às usinas hidrelétricas, é renovável e inesgotável.

Desvantagens da Energia Eólica

Apesar de as vantagens se sobressaírem, há alguns pontos negativos que podem impactar na implantação de parques eólicos. Uma deles é a poluição sonora e visual dos aerogeradores, que interferem nas paisagens naturais. 

A dependência do vento também pode ser vista como um fator negativo, já que sua irregularidade pode afetar a produção de energia, o que acaba levando à necessidade de armazenar energia para períodos de baixa geração.

Além disso, alguns estudos mostram que as turbinas eólicas podem ter impacto na mudança de hábito de migração de algumas aves, que também acabam se chocando com as pás dos aerogeradores.   

Maiores parques eólicos do mundo

De acordo com dados do Global Wind Energy Council (GWEC), em junho de 2023, o setor de energia eólica atingiu 1TW de capacidade instalada pelo mundo. Esse marco levou mais de 40 anos para ser atingido. 

O investimento em energia eólica na China, por exemplo, foi elevado para outro nível desde 2022. O país tem tido um crescimento considerável na produção desta energia sustentável e tem ganhado destaque nos rankings elaborados pelo GWEC.

Se o país asiático continuar a instalar usinas eólicas com uma média entre 70 e 80 gW, ele manterá uma posição como líder mundial na produção de energia eólica.

Em 2023, os Estados Unidos, a China e o Brasil apareceram entre os dez países que mais investiram no setor.  Por outro lado, os maiores parques eólicos do mundo estão localizados nos Estados Unidos, Reino Unido, Bélgica, Portugal, Espanha e Índia. 

Energia eólica no Brasil

O Brasil está em primeiro lugar na América do Sul em geração de energia eólica. De acordo com dados da ABEEólica, o país possui 916 parques eólicos localizados em 12 estados com mais de 10.178 aerogeradores em funcionamento.

A geração de energia eólica teve um crescimento de 12,8% em 2022 e produziu 4.065 MW de capacidade nas novas instalações. Além disso, ela tem uma participação de 13% na matriz energética brasileira.

Segundos dados da ABEEólica, 109 parques eólicos foram instalados no Brasil em 2022, atingido um recorde em relação aos anos anteriores e fazendo com que o país se mantivesse em terceiro lugar no Ranking Mundial de capacidade eólica, elaborado pelo GWEC. Entre os tipos de matrizes energéticas, a energia eólica foi a que obteve maior crescimento naquele mesmo ano.

Anteriormente, uma pesquisa realizada pela ABEEólica constatou que o PIB real aumentou 21,15% em cidades que aderiram ao uso de energia eólica no período de 1999 a 2017. Já o Índice Desenvolvimento Humano do Município (IDHM) cresceu cerca de 20% no período de 2000 a 2010. 

A região nordeste corresponde a cerca de 80% da geração de energia eólica no país, sendo o Rio Grande do Norte o maior produtor de energia eólica, seguido da Bahia, Piauí e Ceará.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade