PUBLICIDADE

Efeito estufa: causas, consequências e relação com aquecimento global

As ações tomadas pela própria humanidade têm alterado a dinâmica do efeito estufa e está colocando em risco nossa própria existência

29 mai 2023 - 20h49
Compartilhar
Exibir comentários
Uma das consequências do efeito estufa é o derretimento de geleiras
Uma das consequências do efeito estufa é o derretimento de geleiras
Foto: zanskar / iStock

Algumas consequências das mudanças climáticas são catastróficas, por isso esse tema é motivo de intensos debates e gera preocupação para governos e para a sociedade em geral. Quando se fala no assunto, o efeito estufa é sempre um dos termos que vem à tona e entendê-lo é fundamental para propor soluções.

Neste texto vamos explicar o que é o efeito estufa, como ele afeta nosso planeta, quais suas causas e como evitá-lo. Acompanhe!

O que é o efeito estufa?

O efeito estufa é um fenômeno que surge quando a radiação solar que atinge o planeta tenta voltar ao espaço, mas acaba bloqueada por alguns gases presentes na atmosfera. Isso faz com que a Terra retenha o calor, funcionando como um tipo de estufa.

Apesar de estar sempre associada às mudanças climáticas, o efeito estufa é um fenômeno natural que ocorre na Terra há milhões de anos e é fundamental para a vida. Pois, embora a superfície e os oceanos também retenham um pouco da radiação solar, isso não é o suficiente, e se todo o resto escapasse para o espaço o planeta teria temperaturas congelantes de -18ºC. 

Mas o grande problema é que a poluição gerada pela humanidade faz com que os gases do efeito estufa presentes na atmosfera aumentem a cada dia. Assim o planeta retém mais radiação solar do que seria recomendado, o que causa o aquecimento global e alterações climáticas altamente prejudiciais.

Consequências do efeito estufa e sua relação com o aquecimento global

O aquecimento global é a principal consequência do efeito estufa e faz com que a temperatura do planeta fique acima da média. De acordo com o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas, em cem anos tivemos um aumento de 0,85º C na temperatura nos continentes e 0,55º C nos oceanos. Caso nada seja feito, as perspectivas não são boas e a temperatura média do planeta deve subir 2ºC até 2100.

Essa situação causa diversos desequilíbrios ambientais e alguns danos podem ser irreversíveis. Algumas das consequências são:

  • Degelo das calotas polares e elevação do nível do mar;
  • Piora da segurança alimentar, afetando colheitas e pesca;
  • Falta de água em alguns locais;
  • Grande inundações em várias partes do globo;
  • Riscos de conflitos decorrentes da baixa disponibilidade de recursos naturais;
  • Extinção de espécies e prejuízos a diversos ecossistemas;
  • Perda de terras devido ao aumento do nível do mar, resultando em deslocamentos populacionais;
  • Problemas de saúde causados pelo calor excessivo.

O que provoca o efeito estufa?

Sabemos que o efeito estufa ocorre naturalmente quando gases presentes na atmosfera impedem que a radiação solar volte ao espaço. Mas o agravamento do problema devido à atividade humana é provocado principalmente por:

  • Produção industrial;
  • Queimadas;
  • Queima de combustíveis fósseis usados em veículos;
  • Criação de lixões e aterros sanitários.

Quais os principais gases causadores do efeito estufa?

Esse fenômeno é causado sobretudo por 4 tipos de gases. Cada um tem um nível diferente de influência no problema.

Dióxido de carbono

Esse gás é o principal causador do efeito estufa quando consideramos as atividades humanas, pois é produzido em abundância em diversos setores da sociedade. Ele é um dos resultados da queima de combustíveis como carvão mineral e petróleo. 

Assim, quando pensamos na quantidade de carros movidos a gasolina no mundo inteiro, podemos imaginar a quantidade de dióxido de carbono lançado na atmosfera diariamente.

Gás metano

O metano tem capacidade 21 vezes maior do que o dióxido de carbono de reter a radiação solar, entretanto ele é apenas o segundo maior contribuinte para o aquecimento global já que é produzido em uma quantidade muito menor.

Esse gás pode surgir de forma natural, mas as atividades humanas relacionadas a aterros sanitários, lixões e pecuária correspondem a 60% das emissões. 

Óxido nitroso

O óxido nitroso tem um poder 298 vezes maior do que o dióxido de carbono de aumentar o aquecimento global. Felizmente sua emissão é menor, mas ainda assim as atividades humanas contribuem fortemente para sua concentração na atmosfera. 

As principais ações que geram esse tipo de gás são o cultivo do solo, tratamento de dejetos e aplicação de fertilizantes nitrogenados.

Mas o óxido nitroso também é produzido de forma natural por algumas bactérias que são encontradas no solo e nos oceanos.

Gases fluoretados

Por fim temos um conjunto de gases que estão entre os principais causadores do efeito estufa, pois eles são usados amplamente nas indústrias:

  • Hidrofluorcarbonetos;
  • Hexafluoreto de enxofre;
  • Perfluorocarbono;
  • Clorofluorcarbono.

Principal causador do efeito estufa natural

Uma curiosidade interessante é que o maior causador natural do efeito estufa é o vapor d’água que se acumula na atmosfera. Como a água é um recurso extremamente abundante no planeta, o vapor se forma com facilidade em vários locais e em diferentes situações.

A influência do homem nesse quesito é baixa e ocorre principalmente de forma indireta. Pois se os gases do efeito estufa aumentam e a temperatura do planeta sobe, surgem mais situações em que o vapor de água é formado.

Como evitar o efeito estufa?

As maiores ações para frear o efeito estufa devem ser tomadas a nível governamental. Para começar é preciso estabelecer metas que possam reverter os efeitos do fenômeno. O Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas aponta que a emissão dos gases que citamos aqui precisa ser reduzida entre 40% e 70% até 2050. 

Mas para que isso aconteça alternativas mais sustentáveis para as indústrias, pecuária e transporte devem ser criadas. Uma das ideias é substituir gradativamente as fontes de energias poluentes por energias limpas, como a solar e a eólica, o que já está sendo feito em algumas partes do mundo, mas ainda sem o investimento e a velocidade necessária.

Já a sociedade em geral também pode começar a implementar pequenas mudanças que irão fazer toda a diferença a longo prazo, como:

  • Usar meios de transportes menos poluentes para distâncias curtas, como as bicicletas;
  • Optar pelo transporte público ao invés do particular;
  • Incentivar a coleta seletiva;
  • Dar preferência a produtos biodegradáveis.

A solução do problema vai depender de muito esforço individual e coletivo, mas as mudanças são necessárias para que possamos garantir nosso próprio futuro no planeta.

Quer se manter bem informado e aprender mais sobre sustentabilidade e meio ambiente? Então leia outros textos da editoria Planeta

Fonte: Redação Planeta
Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade