PUBLICIDADE

Mudança climática leva as árvores da Amazônia a ponto crítico

Estudo com participação de pesquisador brasileiro mostra que a aumento da temperatura na copa das árvores de florestas tropicais pode levar à morte das folhas.

18 out 2023 - 04h22
Compartilhar
Exibir comentários

O desmatamento não é o único desafio que a Amazônia deve enfrentar nos próximos anos. A mudança climática já está afetando a capacidade das árvores de realizar fotossíntese, prejudicando a produção de energia e a fixação do carbono da atmosfera, é o que afirma um estudo conduzido por especialistas de diferentes países, com participação de pesquisadores da Universidade de São Paulo. 

Foto: Climatempo

Mudança climática leva as árvores da Amazônia a ponto crítico, que pode causar a morte das folhas

na copa das árvores (Foto: Getty Images)

A análise, feita em conjunto por diversos estudiosos ao longo de 20 anos, foi publicada na conceituada revista científica Nature e aponta, com grande preocupação, que o aquecimento global está provocando a aproximação da temperatura das copas de árvores de florestas tropicais de um ponto crítico. 

Humberto Ribeiro da Rocha, professor do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG) da USP, explica que a fotossíntese das árvores de florestas tropicais atinge máxima produção entre 24ºC e 28ºC.

No estudo, os pesquisadores mediram a temperatura média das árvores da Amazônia e constataram que elas estavam acima da média de 34ºC e, na copa, chegaram a se aproximar de 40ºC

Mudança climática e alteração no regime de chuva

Essa elevação na temperatura provoca alterações na estrutura das folhas e interfere no seu funcionamento natural, prejudicando a capacidade de realizar as trocas gasosas com o ambiente e a transpiração. A persistência do calor leva, eventualmente, à morte das folhas. Para o professor, a reação a esse aquecimento em escala de ecossistema será muito mais complexa e impossível de prever.

Os pesquisadores alertam que o aumento da temperatura das árvores é maior do que aquele registrado no ar. Com isso, uma elevação do clima do planeta entre 2°C e 3°C pode aumentar a temperatura nas folhas em até 8º C e levar a um colapso total das florestas

O risco do aumento de temperatura nas árvores soma-se aos outros alertas sobre as consequências da mudança climática para a Amazônia, como a transformação nos regimes de chuvas e a alteração para um clima regional mais seco.

Neste mês de outubro, a região está enfrentando uma estiagem histórica, com grandes cursos d'água dando lugar a enormes bancos de areia. No dia 10 de outubro, a cidade de Manaus bateu mais um recorde histórico de alta temperatura, com termômetros atingindo 40,0ºC,  o dia mais quente desde 1910, quando o Instituto Nacional de Meteorologia iniciou as medições meteorológicas regulares na capital amazonense.

"As árvores são uma parte essencial da resposta do nosso planeta às mudanças climáticas, e as florestas tropicais desempenham um papel fundamental para abrigar a diversidade de espécies e regular o clima do planeta. Se elas forem danificadas pelo aumento das temperaturas, estaremos perdendo uma importante linha de defesa e limitando a capacidade da natureza de mitigar os impactos da atividade humana", afirma a Dra. Sophie Fauset, professora de Ecologia Terreste da University of Plymouth, que também participou do estudo.

A pesquisa "Tropical forests are approaching critical temperature thresholds" foi realizada em florestas tropicais na Amazônia, na África e na Ásia combinando dados obtidos por satélite de alta resolução com análises em campo. O estudo foi liderado pelo professor Chris Doughty, da Northern Arizona University, e, além de participação de cientistas da USP, teve contribuições de pesquisadores da França, Reino Unido e Austrália.

Foto: Climatempo
Climatempo
Compartilhar
Publicidade
Publicidade