PUBLICIDADE

Ricciardo, Palou, Herta, O’Ward...o que quer a McLaren?

A McLaren hoje chama mais atenção pela movimentação de pilotos do que pelo desempenho. Pelo menos na F1. O que quer Zak Brown?

13 jul 2022 - 12h02
(atualizado às 12h10)
Ver comentários
Publicidade
Colton Herta se preparando para seu primeiro teste em um F1 com a McLaren
Colton Herta se preparando para seu primeiro teste em um F1 com a McLaren
Foto: McLarenF1 / Twitter

Quem acompanha o noticiário recente da McLaren dá a entender que Zak Brown quer bater o recorde da Sauber na Austrália 2015 em termos de pilotos contratados para os mesmos carros. Ao mesmo tempo em que fica em uma relação de tapas e beijos com Daniel Ricciardo, vai com um programa de desenvolvimento com Pato O’Ward (seu piloto na Indy) e Colton Herta. Além de testar com Jehan Daruvala e muita gente chega a citar Oscar Piastri e até mesmo Sebastian Vettel...

Não satisfeita, a McLaren se vê envolvida em um belíssimo rolo envolvendo Alex Palou, campeão da Indycar em 2021, que teve sua renovação anunciada pela Ganassi e horas depois o próprio piloto desmentiu, com a McLaren fazendo uma postagem confirmando o piloto espanhol para sua equipe, além de dizer que também participará do programa de desenvolvimento para a F1.

Antes do GP da Áustria, Zak Brown, deu uma entrevista confirmando que Daniel Ricciardo segue com o time em 2023. O contrato termina este ano e veio após algumas declarações dando a entender que o australiano não estava entregando o esperado. Afinal, a equipe fez uma aposta e trouxe a peso de ouro em um momento em que estava em uma reconstrução interna e as finanças internas estavam em frangalhos.

Ao menos, para consumo externo, se sabe que Ricciardo tem a prerrogativa de seguir. E nesta quarta, o australiano fez uma declaração em suas redes sociais dizendo que cumprirá o seu contrato até o fim (2023) e que está trabalhando duro para colocar a McLaren de volta no grupo da frente. 

Eis a declaração de "fico" de Daniel Ricciardo em suas redes sociais nesta quarta
Eis a declaração de "fico" de Daniel Ricciardo em suas redes sociais nesta quarta
Foto: Daniel Ricciardo / Twitter

Dentro do quadro, uma saída de Ricciardo seria motivada por vontade do piloto ou pagamento de multa. Desta forma, a dupla da McLaren na F1 seguiria a mesma em 2023. Mas... e depois?

Colton Herta é piloto da Andretti na Indy, mas tem um acordo com a McLaren para “desenvolvimento”; Pato O´Ward renovou com o time e já andou em Abu Dhabi ano passado; Alex Palou chega agora (será que chega mesmo? A briga com a Ganassi promete ser interessante) com uma vantagem sobre seus colegas: já conta com os 40 pontos necessários para a Superlicença (Herta tem 32 e Pato, 30. Ambos podem participar de Treinos Livres).

Nota da Redação: Alex Palou chegou a ser anunciado em 2019 como titular em um projeto de uma equipe monegasca de F1, juntamente com Pascal Wehrlein. Não se falou mais nada sobre o assunto, mas o mesmo grupo segue responsável pelo gerenciamento de carreira dos dois pilotos. Eis aqui.

Alex Palou chega para a McLaren. Em princípio, para a Indycar. Mas...
Alex Palou chega para a McLaren. Em princípio, para a Indycar. Mas...
Foto: Alex Palou / Divulgação

Não podemos esquecer que a McLaren tem em sua estrutura acionária o fundo de investimentos americano MSP Capital, que tem a opção de ficar 33% do time até o final do ano. Zak Brown, que é americano, busca aprofundar cada vez mais os laços com o mercado local. Colton Herta seria a escolha natural. Mas uma mudança só seria viável para 2024.

Contratos na F1 existem para serem rasgados. Que houvesse uma grande virada aí, não se pode descartar. O fato é que a McLaren se mantém em evidência e vai cada vez mais expandindo seu cartel: F1, Indycar, Extreme E e Fórmula E (a partir de 2023). Além disso, não descarta em entrar na onda do novo regulamento WEC/IMSA (a equipe de Zak Brown, a United Motorsports, já está lá). De certa forma, esta movimentação acaba por criar uma certa cortina de fumaça nas atividades do carro-chefe da empresa, que é a F1. Afinal, o MCL36 não vem cumprindo com as expectativas criadas e a McLaren vê a Alpine se aproximar na briga de “melhor do resto”.

 

Parabólica
Publicidade
Publicidade