5 eventos ao vivo

Vendedor a descoberto Hindenburg aposta contra Ebang e ações caem

7 abr 2021
17h33
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O vendedor a descoberto Hindenburg Research reportou na terça-feira sobre seus negócios com a chinesa Ebang, fazendo com que as ações da fabricante de hardware para a mineração de bitcoin caíssem mais de 12%.

"A Ebang afirma ser um 'produtor líder de máquina de mineração de bitcoin', mas nossa pesquisa indica que essa afirmação extraordinária não é apoiada por nenhuma evidência", afirma o Hindenburg.

"A Ebang lançou sua mineradora final em maio de 2019 e desde então viu suas vendas caírem para quase zero, entregando apenas 6 mil mineradoras no total no primeiro semestre de 2020."

Os vendedores a descoberto tomam ações emprestadas e as vendem no mercado, na esperança de recomprá-las a um preço mais barato e embolsar a diferença.

Em comunicado nesta quarta-feira, a Ebang disse que o relatório da Hindenburg contêm muitos erros, especulações sem fundamento e interpretações incorretas. A chinesa ainda afirmou que pretende revisar e examinar as alegações e tomar as medidas necessárias para proteger os interesses de seus acionistas.

A recente moda do bitcoin provocou um aumento na captação de fundos para investir em empresas que buscam expandir suas operações de criptomoeda ou entrar neste setor.

O Ebang estreou na Nasdaq em junho passado e só em fevereiro teve duas rodadas de captação de fundos, recebendo 170 milhões de dólares.

O Hindenburg, que vendeu a descoberto ações de outra empresa chinesa de blockchain em fevereiro, disse que sua pesquisa revelou que, em vez de usar recursos de capital para desenvolver seus negócios, a Ebang direcionou grande parte do dinheiro para fora da empresa por meio de "uma série de acordos com insiders e contrapartes questionáveis."

Veja também:

Huawei e Xiaomi desafiam Tesla no mercado automotivo
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade