0

Uber vai pedir RG nas viagens pagas em dinheiro

A medida é uma das atualizações de segurança informadas no evento Uber Destino, que aconteceu nesta quinta-feira, 3

3 set 2020
11h30
atualizado às 11h58
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O Uber anunciou nesta quinta-feira, 3, novas regras de segurança no aplicativo de viagens e de delivery. No evento Uber Destino, promovido anualmente pela plataforma, a empresa afirmou que, em algumas cidades, será necessário apresentar RG para embarcar em viagens pagas em dinheiro. Falou também sobre o aumento do uso de gravação de áudio como recurso de segurança e discutiu o uso de protocolos contra a covid-19.

"A gente entende que a mobilidade foi impactada nesses meses e, conforme as cidades vão abrindo, as pessoas vão reavaliar com cuidado as formas de se locomover. O Uber já possui recursos de segurança como verificação de documentos de motoristas e entregadores, códigos de validação de viagens e detecção de mensagens inapropriadas no chat do app. Em um momento como esse, em que a segurança fica mais em evidência, eu vejo como uma forma de motivação para fazer ainda mais, garantir uma experiência melhor para parceiros e usuários", afirmou Marcelo Azambuja, Diretor do Tech Center da Uber no Brasil, no evento online em que o Estadão esteve presente.

Com foco nos usuários, a empresa decidiu aumentar a checagem de documentos durante as corridas pagas em dinheiro. Agora, o app vai solicitar que o usuário apresente o RG via scanner na plataforma, antes de prosseguir a viagem. O Uber afirmou que o processo não será necessário todas as vezes, já que o documento fica salvo no banco de dados. Caso o usuário apresente um documento falso, não será possível prosseguir a viagem. O recurso estará disponível nas próximas semanas apenas nas cidades de Juiz de Fora, Feira de Santana e Petrópolis. A expectativa é que outros municípois também recebam a ferramenta no futuro.

Já o recurso de gravação de áudio, que estava disponível desde fevereiro em Salvador, Campo Grande, São Luís, Sorocaba e Uberlândia, vai ser levado para todas as cidades do País. A ferramenta permite que usuários e motoristas gravem a conversa durante a corrida e reportem para a equipe de segurança, caso seja necessário. A empresa informou que todos os arquivos são criptografados.

Além disso, o Uber também está lançando o U-Ajuda 2.0. Como um "upgrade" da versão anterior — que informava paradas longas ou inesperadas — agora o novo recurso também vai detectar viagens que forem finalizadas antes do destino. Caso a viagem termine em um endereço diferente do informado, passageiros e motoristas recebem uma notificação para confirmar a parada precoce.

O Uber também apresentou um balanço sobre as ações feitas no País durante a pandemia e como investiu para aumentar a proteção de motoristas e passageiros. "Foram mais de R$ 50 milhões investidos no Brasil, em assistência financeira para os parceiros, centro de higienização em 10 cidades, reembolso de materiais de higiene e kits", explicou Claudia Woods, diretora do Uber no Brasil.

Para o Uber Eats, as novidades ficaram em relação à protocolos de higiene para restaurantes e segurança para entregadores. Segundo Mariana Esteves, gerente sênior de produtos, todos os restaurantes terão uma página especial no app para informar quais os protocolos de higienização estão sendo tomados nos cuidados com a preparação e embalagem de alimentos.

"Com a pandemia, os usuários querem saber mais sobre qual procedimento de higiene e saúde os restaurantes estão tomando. A ferramenta vai conseguir mostrar diretamente para os usuários quais as práticas de segurança e higiene esses restaurantes estão tomando, em uma ação de transparência", afirma.

Um material educativo também será distribuído para entregadores, com protocolos de segurança para evitar acidentes durante o trabalho. De acordo com Mariana, a medida visa manter os parceiros informados e incentivar a precaução durante as entregas.

O Uber informou que todas as mudanças anunciadas serão implementadas nas próximas semanas.

*É estagiária sob supervisão do repórter Bruno Romani

Veja também:

Veja como funciona a Bixby, assistente de voz da Samsung
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade