0

Microsoft lança Windows 10 com foco nos dispositivos móveis

29 jul 2015
21h26
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A Microsoft lançou nesta quarta-feira o Windows 10, a mais recente atualização de seu sistema operacional e com a qual quer manter sua relevância no mundo dos dispositivos móveis, dominado por Apple e Google.

A empresa com sede em Seattle, nos Estados Unidos, ofereceu a atualização de forma gratuita com o objetivo de conseguir 1 bilhão de usuários nos próximos dois anos.

A Microsoft calcula que cerca de 1,5 bilhão de pessoas utilizem alguma versão do Windows e, ao invés de cobrar pela nova versão, como costumava ser, optou pela atualização gratuita, seguindo a mesma estratégia de Apple e Google.

"Este é o nosso melhor Windows e estamos oferecendo a atualização de graça com o objetivo de conseguir 1 bilhão de usuários nos próximos dois anos", disse à Agência Efe Will Dixon, diretor de marketing do Windows.

"Nós acreditamos que estaremos em uma posição muito boa como companhia se alcançarmos a meta de conseguir esses 1 bilhão de usuários", afirmou Dixon.

O acesso a um grande número de usuários também ajudaria a empresa de Seattle a convencer os desenvolvedores de que vale a pena trabalhar em aplicativos úteis e divertidos para o sistema operacional da Microsoft.

O Windows 10 será lançado primeiro para computadores e tablets, mas o sistema também foi desenvolvido para funcionar em smartphones e consoles de videogame.

Entre suas novas funções está o navegador Edge, assim como a versão para computadores do aplicativo Cortana, um assistente de voz equivalente ao Google Now! e ao Siri, da Apple.

Dixon ressaltou que Cortana não só pode responder a perguntas do usuário e abrir aplicativos, mas também "tem senso de humor" e é capaz de fazer brincadeiras.

"Tem sua personalidade, e você pode pedir para ela lhe contar uma piada", afirmou o executivo da Microsoft.

Apesar das mudanças que serão introduzidas com o Windows 10, Dixon insistiu que a nova versão do sistema operacional continuará bastante "familiar" para os usuários.

A nova versão traz de volta o "Menu Iniciar", através do qual os usuários poderão ter acesso aos aplicativos, programas e funções que mais utilizam e que tinha desaparecido na última atualização, o impopular Windows 8.

O Windows 10 também oferece a opção de reorganizar e mudar o tamanho dos ícones.

Além disso, o novo sistema operacional oferece aos usuários a opção de acessar seus dispositivos através do reconhecimento facial, da íris e da impressão digital, o que evita o uso de senhas.

A primeira atualização gratuita do sistema da Microsoft estará disponível durante o próximo ano para todos os usuários que têm as versões Windows 7 e Windows 8, mas não para as versões Entreprise, que são utilizadas pelas grandes empresas.

A primeira atualização gratuita do sistema recebeu críticas majoritariamente positivas por sua facilidade de uso, mas a aposta pelo modelo gratuito gerou preocupações sobre as receitas futuras da Microsoft.

A companhia disse em abril que espera arrecadar cerca de US$ 15 bilhões este ano com a venda do novo Windows.

A Microsoft cobra tarifas dos fabricantes de computadores que instalam o Windows em seus novos dispositivos e também obtém receitas pela venda de seu software a grandes empresas e organizações.

Segundo os dados divulgados em abril, o dinheiro arrecadado com a venda do Windows aos consumidores costuma ser cerca de um terço do faturamento total da empresa, o que representa entre US$ 4 e 5 bilhões, ou entre 4% e 5% da receita total da empresa no exercício que terminou no dia 30 de junho.

Veja também:

Veja como funciona a Bixby, assistente de voz da Samsung
EFE   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade