3 eventos ao vivo

Receitas da Sony Mobile quadruplicaram no Brasil

Segundo ranking da consultoria Teleco, hoje a Sony não está entre as oito maiores do mercado global de smartphones

11 set 2014
12h11
atualizado às 16h02
  • separator
  • 0
  • comentários

As receitas da operação brasileira da divisão de aparelhos móveis da Sony quadruplicaram no ano passado, ampliando sua relevância nos negócios globais da japonesa Sony, que enfrenta dificuldades para lucrar com o segmento móvel em outros países.

Paquete Pantalla Led Sony Bravia 55" W800 + Tablet Xperia S 16Gb + Cámara Digital Cyber-Shot Wx80 16Mp de $40,999.00 a $17,999.00
Paquete Pantalla Led Sony Bravia 55" W800 + Tablet Xperia S 16Gb + Cámara Digital Cyber-Shot Wx80 16Mp de $40,999.00 a $17,999.00
Foto: Sears

Segundo o presidente da Sony Mobile do Brasil, Ricardo Junqueira, em 2013 as receitas da operação brasileira mais do que quadruplicaram na comparação com 2012 devido ao crescimento das vendas de smartphones. Ele não deu detalhes.

No mundo, as receitas consolidadas da Sony somaram US$ 72 bilhões (R$ 165 bilhões) no ano fiscal de 2013 encerrado em março, alta anual de 14,3%. O segmento mobile respondeu por US$ 15,3 bilhões, alta de 29,7%.

Segundo ranking da consultoria Teleco, com base em dados da IDC, a Sony não está entre as oito maiores do mercado global de smartphones.

Para ampliar sua fatia no Brasil, a empresa está apostando em smartphones mais simples à prova d'água, capacidade anteriormente restrita a aparelhos top de linha, tablets de tamanho menor e maior durabilidade de bateria, disse Junqueira.

Alguns dos lançamentos recentes à prova d'água foram os smartphones e tablets Xperia Z3. Foi lançado ainda o Xperia M2 Aqua, o primeiro aparelho intermediário à prova d'água. "No ano passado, a operação brasileira passou a ter importância grande (dentro da empresa)", disse Junqueira.

Segundo o executivo, esse aumento ocorreu porque a partir do ano passado a matriz passou a dar mais atenção ao mercado brasileiro, o que permitiu à marca lançar no país modelos até então restritos ao exterior.

"Conseguimos trazer para o país uma linha de produtos na faixa de preços que antes não atingíamos, com aparelhos de entrada a R$ 499", disse, lembrando que os top de linha podem chegar a R$ 2,6 mil.

Novos aparelhos
A Sony também ampliou o portfólio de aparelhos produzidos no Brasil. Segundo Junqueira, a fábrica que a companhia tinha no país não conseguiu acompanhar o aumento da demanda.

"Abrimos a segunda fábrica em janeiro no interior de São Paulo", disse.

A aposta continua sendo a plataforma Android, do Google, porém, a Sony Mobile não descarta novidades em termos de sistema operacional. "A Sony está aberta a analisar outras plataformas", declarou Junqueira, sem dar detalhes.

De acordo com a consultoria IDC, foram vendidos 35,6 milhões de smartphones no Brasil em 2013, crescimento de 123% frente ao ano anterior. A consultoria ainda não divulgou dados deste ano, mas a previsão é de crescimento de 30%.

Apesar do avanço em mercados como o Brasil, a Sony Mobile vem enfrentando dificuldades no mundo. A Sony alertou em julho que não espera lucrar com smartphones este ano, citando a fraca demanda global.

Em julho, a companhia reduziu sua meta de vendas de smartphones no mundo de 50 milhões para 43 milhões de unidades em 2014. A meta anterior foi considerada "um pouco agressiva" pelo diretor de planejamento Hiroki Totoki.

Uma das marcas japonesas mais conhecidas, a Sony luta para tirar sua divisão de eletrônicos do vermelho.

Galaxy ou iPhone? Compare smartphones topo de linha Galaxy ou iPhone? Compare smartphones topo de linha

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade