0

Relembre frases marcantes ditas no Brasil em 2014

12 dez 2014
18h40
atualizado em 15/12/2014 às 10h13
  • separator
  • comentários

O Terra selecionou as 10 frases que ganharam repercussão no Brasil em 2014, envolvendo crimes, política, manifestações ou reivindicações. Confira a seguir:

“Imagina na Copa”

O jargão sobre o evento futebolístico foi largamente utilizado neste ano, num misto de protesto, humor e mau agouro, quando estava em debate algum problema do Brasil.

“Não são garis, são deliquentes e marginais que estão coagindo principalmente as mulheres garis”

O ataque à paralisação dos garis no Rio de Janeiro feito por Eduardo Paes, prefeito da cidade, não pegou bem entre os cariocas, que, em sua maioria, apoiaram os grevistas.

“A minha métrica do sucesso não é a reeleição”

Do prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, ao ser perguntado, em janeiro, se as medidas impopulares que derrubaram a aprovação de sua gestão, segundo pesquisas, não eram um risco a sua reeleição.

“E aos defensores dos direitos humanos que se apiedaram do marginalzinho preso ao poste, eu lanço uma campanha: faça um favor ao Brasil, adote um bandido”

De Rachel Sheherazade, apresentadora do noticiário do SBT. A jornalista defendeu as pessoas que agrediram e acorrentaram um jovem, nu, a um poste, por ele supostamente ter cometido furtos. A fala mereceu repúdio de diversos setores da sociedade, como as entidades de jornalismo e o Ministério Público Federal (MPF).

“A República não pertence a vossa excelência nem a sua grei”

De Joaquim Barbosa, então presidente do Superior Tribunal Federal (STF). A fala foi proferida ao expulsar o advogado de José Genoino, um dos condenados na ação penal 470, o processo do mensalão, do plenário do STF, fato inédito na história do País e que mereceu repúdio das Ordem dos Advogados do Brasil OAB, que rebateu: “sequer a ditadura militar chegou tão longe”.

“Onde que eu vou colocar as minhas clientes que são milionárias, que andam de carro importado? Você acha que as minhas clientes vão andar de salto alto de bicicleta?”

Moradora de Moema, bairro nobre de São Paulo, indignada com a ciclovia implantada em sua rua.

“Quantos morreram? Tantos quanto foram necessários” ou “você quebrava os dentes. As mãos, cortava daqui para cima”

Paulo Magalhães, coronel reformado do Exército, admitindo, em depoimento à Comissão Nacional da Verdade (CNV), que torturou e matou opositores da ditadura militar. Um mês após seu depoimento, ele foi encontrado morto dentro de sua casa.

“Vim dar a ele boas vindas ao inferno”

Vanuzia Leite Lopes, vítima de Roger Abdelmassih, no aeroporto em que o médico, preso no Paraguai após ficar três anos foragido, chegou ao Brasil. Ele foi condenado pelo estupro de 52 pacientes.

"Não existe racionamento, existe administração da disponibilidade de água"

Dilma Pena, presidente da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), em depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da estatal na Câmara Municipal de São Paulo, negando que houvesse racionamento em cidades da Grande São Paulo.

"Usando a oração de São Francisco, é dando que se recebe. Eles usam muito isso"

Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras em depoimento à Justiça, exemplificando o esquema de corrupção que funcionava na estatal.

“Se não fizer acerto (com políticos), não põe um paralelepípedo no chão”

Mário Oliveira Filho, advogado de Fernando Baiano, um dos suspeitos de envolvimento no esquema de corrupção na Petrobras, investigado pelo operação Lava Jato da PF, afirmando que a corrupção está presente em toda obra feita no País.

"É juiz, mas não Deus"

Por esta frase, a agende da Lei Seca no Rio de Janeiro, Luciana Silva Tamburini, foi condenada pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro a pagar R$ 10 mil ao juiz João Carlos de Souza Corrêa, parado por ela numa blitz sem carteira de habilitação, placa e documentos do veículo. O juiz deu voz de prisão a Luciana e o caso foi parar na delegacia.

Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade