PUBLICIDADE

Produção de petróleo do Brasil tem 2º recuo mensal em janeiro, mostra ANP

1 mar 2024 - 10h49
(atualizado às 13h52)
Compartilhar
Exibir comentários

A produção de petróleo do Brasil em janeiro atingiu 3,519 milhões de barris ao dia, queda de 1,8% ante o mês anterior, configurando o segundo recuo mensal consecutivo, após ter batido um recorde em novembro, segundo dados publicados nesta sexta-feira pela reguladora ANP.

O volume, no entanto, subiu 7,5% na comparação anual, com o desenvolvimento de importantes áreas do pré-sal ao longo de 2023.

A Petrobras, como concessionária, produziu cerca de 2,25 milhões de bpd em janeiro, alta de 7,37% na comparação com o mesmo mês de 2023, segundo os dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Já anglo-holandesa Shell, segunda maior produtora do país depois da Petrobras, produziu aproximadamente 361.420 bpd, queda de 4,23% na mesma comparação.

A francesa TotalEnergies, terceira maior produtora, produziu 143.634 bpd em janeiro, alta de 4,48% no período.

Já a produção de gás natural do Brasil em janeiro atingiu 153,93 milhões de metros cúbicos/dia, aumento de 7,6% na comparação anual e também uma queda de 1,7% versus o mês anterior.

Considerando a produção de petróleo e gás, o volume total somou 4,487 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boe/d).

Do total, o pré-sal foi responsável por 3,389 milhões de boe/d em janeiro, correspondendo a 75,5% da produção brasileira, volume 2,8% menor em relação ao mês anterior e 7% superior na comparação com o mesmo mês de 2023.

O pré-sal produziu 2,670 milhões de bpd de petróleo e 114,32 milhões de m³/d de gás natural por meio de 148 poços.

Em janeiro, o campo de Tupi, no pré-sal da Bacia de Santos, foi o maior produtor de petróleo e gás, registrando 751,31 mil barris/dia de petróleo e 37,09 milhões de m³/d de gás natural.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Publicidade