PUBLICIDADE

PF prende no Pará fazendeiro que ameaçou 'dar um tiro' em Lula

Arilson Strapasson foi detido na tarde desta quinta-feira, 3; presidente estará em Santarém a partir desta sexta, 4, para a Cúpula da Amazônia

3 ago 2023 - 20h50
(atualizado às 22h16)
Compartilhar
Exibir comentários

A Polícia Federal prendeu o fazendeiro paraense Arilson Strapasson na tarde desta quinta-feira, 3, por ameaças ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O fazendeiro teria dito que ia 'dar um tiro' em Lula e chegou a tentar descobrir o hotel em que Lula se hospedará em Santarém para a Cúpula da Amazônia, marcada para ocorrer entre 4 e 9 de agosto.

Segundo nota da Polícia Federal, o fazendeiro teria proferido ameaças ao presidente enquanto comprava bebidas em uma loja nesta terça-feira, 2. 'Enquanto realizava a compra, o homem teria dito que daria um tiro na barriga do presidente e perguntado aos presentes se sabiam onde ele se hospedaria quando fosse ao município'.

Uma das testemunhas do ocorrido realizou uma denúncia que levou a abertura de inquérito e, na tarde desta quarta, à prisão do fazendeiro.

De acordo com a PF, o suspeito ainda teria dito aos policiais que participou dos atos golpistas de 8 de janeiro e que invadiu o salão verde da Câmara dos Deputados. Além disso, teria participado de manifestações em frente ao 8º Batalhão de Engenharia de Construção em Santarém por 60 dias e que financiou a manifestação com R$1.000,00 todos os dias.

Ao Estadão, o Mistério da Justiça confirmou a prisão e compartilhou que o fazendeiro responderá ao artigo 15, da Lei nº 1.802/1953, por 'incitar publicamente ou preparar atentado contra pessoa ou bens, por motivos políticos, sociais ou religiosos'. A pena é de reclusão de 1 a 3 anos.

Além disso, também deve responder ao artigo 147 do Código Penal: 'Perseguir alguém, reiteradamente e por qualquer meio, ameaçando-lhe a integridade física ou psicológica, restringindo-lhe a capacidade de locomoção ou, de qualquer forma, invadindo ou perturbando sua esfera de liberdade ou privacidade. Neste caso, é reclusão, de 6 meses a 2 anos, e multa.

De acordo com a agenda da Presidência, Lula deve chegar em Santarém na tarde desta quinta-feira, 4. Outras autoridades, como ministros de governo e ministros do STF, também participação dos eventos da Cúpula.

Em suas redes sociais, o ministro da Justiça, Flávio Dino, disse que 'mesmo após o fracasso dos atos golpistas de 8 de janeiro, ainda existem pessoas que ameaçam matar ou agredir fisicamente autoridades dos Poderes da República'. 'Isso não é "liberdade de expressão"', reiterou.

Estadão
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Publicidade