PUBLICIDADE

Olimpíada de Tóquio 2021: o feito da jamaicana Elaine Thompson-Herah, ouro nos 100m e 200m pela 2ª vez

A jovem de 29 anos, que já havia conquistado o ouro e quebrado o recorde mundial na corrida dos 100m no sábado, conquistou a segunda medalha de ouro, desta vez nos 200m rasos.

4 ago 2021 05h13
| atualizado às 07h07
ver comentários
Publicidade

A velocista jamaicana Elaine Thompson-Herah confirmou seu lugar no panteão dos grandes nomes de corridas olímpicas na quarta-feira de Tóquio (04/08).

A jovem de 29 anos, que já havia conquistado o ouro e quebrado o recorde mundial no sprint de 100 metros no sábado, conquistou a segunda medalha de ouro, desta vez no sprint de 200 metros.

Thompson-Herah cobriu a distância em 21,53 segundos, apenas 0,19 segundo do recorde mundial de Florence Griffith-Joyner estabelecido há 33 anos.

É, portanto, o segundo tempo mais rápido da história e a segunda vez que a jamaicana vence nos 100m e 200m nas Olimpíadas (ela já havia feito a mesma coisa no Rio 2016).

Em segundo lugar ficou a adolescente namibiana Christine Mboma, que foi excluída dos 400m duas semanas antes das Olimpíadas devido a níveis naturalmente elevados de testosterona.

Gabrielle Thomas, a campeã americana, ficou com o bronze com 21,87 segundos.

Os recordes

A marca de 21,34 segundos de Griffith-Joyner nos 200m, definida na final dos Jogos de Seul em 1988, há muito parecia imbatível.

O novo recorde teve ajuda da pista de alta tecnologia reforçada com carbono.

Thompson-Herah esteve lesionada durante várias temporadas
Thompson-Herah esteve lesionada durante várias temporadas
Foto: Getty Images / BBC News Brasil

Quem também impressionou na prova foi a adolescente Mboma.

Com apenas 18 anos completado em maio, a atleta da Namíbia havia corrido os 200 metros antes desta temporada em 25s05. Mas sua impressionante velocidade final a fez superar a corredora jamaicana Shelly-Ann Fraser-Pryce e várias outras nos últimos 50 metros.

Thompson-Herah, Fraser-Pryce e a medalhista de bronze dos 100m Shericka Jackson vão tentar levar a Jamaica a uma posição melhor do que a prata nos 4x100m no Rio na final de revezamento desta sexta-feira.

BBC News Brasil BBC News Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da BBC News Brasil.
Publicidade
Publicidade