PUBLICIDADE

Mundo

Premiê italiana diz que polêmica sobre aborto é 'artificial'

Tema foi evitado na declaração final da cúpula do G7

15 jun 2024 - 10h57
(atualizado às 11h03)
Compartilhar
Exibir comentários

A primeira-ministra da Itália, Giorgia Meloni, afirmou que a polêmica gerada na cúpula do G7 sobre o aborto, que não foi mencionado na declaração final, é "totalmente artificial".

    O comunicado de 36 páginas teve foco nos conflitos na Faixa de Gaza e na Ucrânia, tendo abordado ainda temas como migração e mulheres. No entanto, o documento da reunião evitou o tema do aborto, o que causou muitas críticas aos líderes.

    "Geralmente acontece que nos documentos oficiais as coisas adquiridas não são repetidas literalmente. Na declaração de Hiroshima, a referência 'ao aborto' foi clara. Acredito que a polêmica foi construída de forma totalmente artificial e ela existiu em nossas discussões porque sim, não havia razão para discutir", declarou Meloni em uma coletiva de imprensa.

    A chefe de governo italiana, de orientação política conservadora, ainda mencionou na conversa com a imprensa local que não houveram retrocessos em questões do direito ao aborto e da comunidade LGBTQIA+ durante a cúpula do G7.

    "Nestes dois anos não houveram retrocessos em questões como o direito ao aborto ou os direitos LGBT. A realidade é diferente de uma história que vejo de vários supostos observadores, cujas expectativas foram frustradas", analisou. .

Ansa - Brasil   
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade