0

Polícia usa gás lacrimogêneo para dispersar ato em Hong Kong

Policiais e manifestantes pró-democracia ficaram feridos no ato mais recente, deste domingo, em sete meses de protestos

19 jan 2020
10h02
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Foto: Reuters

Policiais usaram gás lacrimogêneo para dispersar milhares de manifestantes no centro comercial de Hong Kong que protestaram contra o governo do país neste domingo, 19, no mais recente ato em sete meses de protestos. Os manifestantes pressionam as autoridades chinesas por mais democracia.

Antes do início da manifestação, a polícia interveio prontamente quando o comício se transformou em uma marcha improvisada. Várias unidades policiais perseguiram manifestantes e decretaram prisão, inclusive de um homem que estava ferido.

Um caminhão de canhão de água circulava pelas ruas centrais, mas não foi usado.

Os organizadores solicitaram inicialmente uma permissão para uma marcha, mas a polícia só concordou com um comício no parque, dizendo que marchas anteriores se tornaram violentas.

Uma vez que os manifestantes se espalharam pelas ruas, alguns deles - vestindo roupas pretas - barricaram as estradas com guarda-chuvas e móveis de rua, desenterraram tijolos das calçadas e quebraram semáforos.

Manifestação "Cerco Universal Contra o Comunismo"

O ato foi o mais recente de uma série de protestos contra o governo desde junho, quando a população saiu às ruas para manifestar seu descontentamento sobre uma conta de extradição agora retirada. Os protestos tinham perdido intensidade nas últimas semanas, mas foi retomado neste domingo.

A reunião no parque foi inicialmente relaxada, com muitas famílias com crianças ouvindo discursos de ativistas. Em um canto, um grupo de voluntários montou um estande onde as pessoas poderiam deixar mensagens em cartões vermelhos para o ano novo lunar para ser enviado para aqueles que foram presos.

As autoridades de Hong Kong prenderam mais de 7 mil pessoas, muitas acusadas de tumultos que podem levar a penas de prisão de até 10 anos. Não está claro quantos ainda estão sob custódia.

Em 1º de janeiro, uma marcha que atraiu dezenas de milhares de manifestantes contra o governo em Hong Kong no ano-novo acabou em confusão, quando a polícia disparou gás lacrimogêneo e canhões de água na multidão, incluindo famílias inteiras.

Segundo o jornal The Guardian, 400 pessoas foram presas - trata-se da maior quantidade de detidos em um único dia de manifestações desde junho, quando uma onda de protestos tomou conta do território autônomo que é governado pela China. / Reuters

Veja também:

Por que milhões de pessoas estão assistindo a vídeos de limpeza de piscinas no TikTok
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade