PUBLICIDADE

Papa pede às pessoas que se vacinem contra a Covid-19 para o bem de todos

18 ago 2021 09h23
ver comentários
Publicidade

O papa Francisco fez um apelo nesta quarta-feira pedindo às pessoas que se vacinem contra a Covid-19, dizendo que as vacinas podem pôr fim à pandemia, mas precisam ser tomadas por todos.

Papa Francisco acena durate audiência semanal no Vaticano
18/08/2021 Vatican Media/Divulgação via REUTERS
Papa Francisco acena durate audiência semanal no Vaticano 18/08/2021 Vatican Media/Divulgação via REUTERS
Foto: Reuters

"Graças à graça de Deus e ao trabalho de muitos, agora temos vacinas para nos proteger contra a Covid-19", disse o papa em uma mensagem de vídeo feita em nome do grupo sem fins lucrativos norte-americano Ad Council e da coalizão de saúde pública Covid Collaborative.

"Elas nos dão a esperança de acabar com a pandemia, mas apenas se estiverem disponíveis para todos e se trabalharmos juntos."

As vacinas estão amplamente disponíveis principalmente nos países mais ricos, mas a desconfiança e a hesitação sobre os imunizantes recém-desenvolvidos fizeram com que muitas pessoas se recusassem a tomá-las, deixando-as especialmente vulneráveis conforme a variante Delta se espalha.

Em contraste, os países mais pobres ainda não têm acesso a insumos em grande escala de vacinação.

Médicos especialistas alertam que variantes cada vez mais perigosas podem se desenvolver caso o vírus permaneça circulando em grandes grupos de pessoas não vacinadas.

O próprio papa Francisco foi vacinado em março, dizendo na época que era uma obrigação ética.

"A vacinação é uma forma simples, mas profunda de promover o bem comum e cuidar uns dos outros, especialmente dos mais vulneráveis. Rezo a Deus para que todos possam contribuir com seu próprio grão de areia, seu pequeno gesto de amor", disse o papa em sua mais recente mensagem de vídeo.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade