PUBLICIDADE

Mundo

Oposição se une e derrota coalizão de Meloni em eleição regional

Alessandra Todde foi eleita governadora da Sardenha

27 fev 2024 - 07h36
(atualizado às 07h42)
Compartilhar
Exibir comentários

A coalizão da premiê da Itália, Giorgia Meloni, perdeu as eleições para governador da Sardenha e sofreu sua primeira derrota nas urnas desde a ascensão da líder de direita ao poder, no fim de 2022.

Alessandra Todde, candidata do populista Movimento 5 Estrelas (M5S) e apoiada pelo centro-esquerdista Partido Democrático (PD), alcançou 45,4% dos votos e superou o postulante conservador e prefeito da capital Cagliari, Paolo Truzzu, com 45%. 

O candidato natural da aliança de direita seria o atual governador da Sardenha, Christian Solinas, cuja nomeação era defendida pela Liga, do vice-premiê e ministro da Infraestrutura e dos Transportes, Matteo Salvini, mas Meloni impôs a indicação de Truzzu, seu correligionário no partido Irmãos da Itália (FdI). 

Todde será a primeira mulher governadora na história da Sardenha e a primeira integrante do M5S a liderar uma das 20 regiões do país. "Estou muito feliz e muito orgulhosa, acho que hoje escrevemos uma página na história da Sardenha", declarou.

A vencedora já foi vice-presidente do M5S e vice-ministra do Desenvolvimento Econômico na gestão do premiê Mario Draghi. Com diploma em engenharia, trabalhou em oito países, incluindo Estados Unidos e França, e passou a maior parte da vida fora da Sardenha.

Já Truzzu, prefeito de Cagliari desde 2019, reconheceu a derrota e fez questão de dissociar o resultado da política nacional. "As eleições não foram influenciadas por fatores nacionais, e o dado que prova isso é o resultado em Cagliari, que votou contra mim. Por isso, a responsabilidade é minha", disse - na capital sarda, Todde venceu por 53% a 34,5%.

O pleito também era visto como um teste para ver se a aliança de ocasião entre M5S e PD poderia competir com a coligação de direita. "Os cidadãos sardos fecharam a porta para Meloni e a abriram para a alternativa. O ar mudou", comemorou o ex-premiê e líder do Movimento 5 Estrelas, Giuseppe Conte.

Ansa - Brasil   
Compartilhar
Publicidade
Publicidade