PUBLICIDADE

Mundo

Itália abre cúpula do G7 de olho no Sul Global

Potências também preparam acordo sobre ativos russos

13 jun 2024 - 07h24
(atualizado às 10h03)
Compartilhar
Exibir comentários

A Itália abriu nesta quinta-feira (13) a cúpula de líderes do G7 em Borgo Egnazia, na região da Puglia, com a expectativa por um acordo sobre a utilização de lucros de ativos russos congelados no Ocidente e o desejo de estender pontes com o Sul Global.

    A premiê Giorgia Meloni, fortalecida pela vitória de seu partido, o Irmãos da Itália (FdI), nas eleições europeias, recebeu os líderes pessoalmente, incluindo o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, que foi o último a chegar e fez a primeira-ministra esperar 20 minutos.

    "Ainda há muito trabalho a fazer, mas estou certa de que conseguiremos levar adiante um debate capaz de entregar resultados concretos", disse Meloni.

    Um dos objetivos é fechar um acordo para a utilização de lucros de ativos russos congelados no âmbito das sanções ocidentais contra Moscou pela guerra na Ucrânia.

    Segundo uma fonte da União Europeia, negociadores já chegaram a um consenso, e falta agora apenas o aval definitivo dos líderes para a criação de um fundo de US$ 50 bilhões (R$ 270 bilhões) para Kiev.

    Na abertura do G7, Meloni também defendeu que o grupo precisa "abrir uma oferta de valores ao mundo" para obter um "desenvolvimento compartilhado" e "reforçar o diálogo com as nações do Sul Global".

    O presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, participará da cúpula nesta sexta-feira (14).

Ansa - Brasil   
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade