PUBLICIDADE

Mundo

EUA e Coreia do Sul iniciam exercícios militares e irritam Kim

5 mar 2024 - 09h43
(atualizado às 09h52)
Compartilhar
Exibir comentários

Os Estados Unidos e a Coreia do Sul iniciaram na última segunda-feira (4) seus exercícios militares conjuntos anuais, em uma operação batizada "Escudo da Liberdade", para tentar inibir os excessos de Pyongyang.

Segundo o porta-voz do Estado-Maior Conjunto de Seul, Lee Sung-jun, os exercícios se concentrarão em dissuadir as ameaças nucleares da Coreia do Norte.

As manobras militares de grande escala ocorrem em um "ambiente operacional combinado, conjunto, de multidomínio e interagências", e devem ser concluídas em 14 de março.

Os exercícios dos EUA e da Coreia do Sul visam reforçar o entendimento entre as forças dos dois países, assegurando a sua capacidade de melhorar a defesa e de resposta da Aliança contra uma espectro de ameaças à segurança".

De acordo com as autoridades norte-americanas, o programa envolve "treinamento ao vivo, virtual, construtivo e de campo, envolvendo pessoal dos serviços militares e outras agências federais".

Além disso, um aspecto chave concentra-se na condução de operações multidomínios aproveitando ativos terrestres, marítimos, aéreos, cibernéticos e espaciais, com atenção especial para operações antinucleares e efeitos não cinéticos".

Participam também das manobras militares de 12 Estados-membros do Comando da ONU: Austrália, Bélgica, Canadá, Colômbia, França, Reino Unido, Grécia, Itália, Nova Zelândia, Filipinas, Tailândia e Estados Unidos.

O objetivo é que as unidades lideradas pela Coreia do Sul e pelos EUA conduzirão várias sessões de treino combinadas em grande escala "para fortalecer a segurança e a estabilidade não apenas na Península Coreana, mas também em todo o Nordeste da Ásia e no Indo-Pacífico.

Em resposta, um porta-voz do Ministério da Defesa do regime de Kim Jong-un garantiu que Washington e Seul "serão forçados a pagar um preço elevado pela sua escolha, sabendo que isso causa sérios problemas de segurança a cada momento". .

Ansa - Brasil   
Compartilhar
Publicidade
Publicidade