0

Coreia do Norte fez proposta, mas EUA pediram mais na cúpula, diz chanceler

28 fev 2019
16h27
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O ministro das Relações Exteriores da Coreia do Norte, Ri Yong Ho, disse que seu país fez propostas realistas na cúpula com os Estados Unidos, inclusive desmantelar o complexo nuclear de Yongbyon, em troca de uma suspensão parcial das sanções.

Chanceler norte-coreano, Ri Yong Ho, dá entrevista coletiva após cúpula em Hanói
28/02/2019
Yonhap via REUTERS
Chanceler norte-coreano, Ri Yong Ho, dá entrevista coletiva após cúpula em Hanói 28/02/2019 Yonhap via REUTERS
Foto: Reuters

Os EUA exigiram mais uma medida além do desmantelamento, disse Ri em uma coletiva de imprensa nesta quinta-feira.

    Ele disse que, se Washington suspendesse parcialmente as sanções, a Coreia do Norte poderia interromper permanentemente toda a produção de material nuclear, inclusive plutônio e urânio, sob observação dos EUA.

    Ri disse aos repórteres que Pyongyang buscava um alívio parcial das sanções, não uma suspensão total. O presidente dos EUA, Donald Trump, disse que abandonou a cúpula por causa de exigências inaceitáveis do líder norte-coreano, Kim Jong Un, para a suspensão das sanções lideradas pelos EUA.

    O chanceler norte-coreano disse que, se os dois lados acertassem vários níveis de medidas para estabelecer a confiança, Pyongyang estaria disposta a levar adiante a desnuclearização.

    Além de propor o desmantelamento de Yongbyon, a Coreia do Norte ofereceu encerrar permanentemente os testes nucleares, disse Ri na coletiva de imprensa.

    Trump disse que os dois dias de conversas na capital vietnamita renderam avanços no desenvolvimento das relações e na questão central da desnuclearização, mas que é importante não fechar um acordo ruim às pressas.

Veja também:

Quem é o menino bailarino da Nigéria que viralizou nas redes sociais
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade